PROCESSOS ESDRÚXULOS

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

 

FullSizeRender-221x300O caro leitor sabe de onde procede hoje o maior número de ações judiciais que correm no Tribunal de Justiça do Amazonas? Pois elas vêm da prefeitura de Manaus, que há dois anos castiga o cidadão comum que deve desde quantidades mínimas de impostos a grandes somas, sem distinção.

O manauara que nunca teve problemas com a Justiça é muitas vezes surpreendido ao entrar no site do TJAM e fazer uma busca simples pelo seu nome. Depara-se muitas vezes com cobranças de IPTU, por exemplo, que não lhe cabem mais.

É que, em muitos casos, o sujeito vende um imóvel, mas o novo proprietário não registra a mudança de propriedade na Secretaria Municipal de Finanças, que por sua vez não se dá ao trabalho de fazer uma busca nos cartórios e simplesmente processa judicialmente o nome que tem em seus arquivos.

Na busca desenfreada por recursos, ainda antes da crise, a prefeitura decidiu punir sem dó nem piedade os munícipes.

Não defendo a sonegação de impostos, mas entendo que é preciso critério para processar um cidadão de bem. A busca em cartórios, que citei acima, seria um requisito básico para evitar injustiças e prejuízos, como por exemplo a retirada de certidões de nada consta.

É uma situação injusta e esdrúxula, que penaliza milhares por causa de alguns maus pagadores. Símbolo de uma administração que vive de factóides e está pouco preocupada com o cidadão.

Wanderley Dallas, deputado estadual em quarto mandato, oposicionista do momento. É presidente da Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa.

Qual Sua Opinião? Comente:

Este post tem um comentário

  1. Realmente não é justo com o cidadão amazonense de bem. Mas a título de curiosidade, pergunto ao Sr. Dallas, já que ele se diz da oposição, qual é o candidato dele à Prefeitura de Manaus?

Deixe uma resposta