Prefeitura recomenda o uso de máscara para exercício no calçadão da Ponta Negra

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Prefeitura de Manaus reforça que a praia do Complexo Turístico Ponta Negra, zona Oeste, segue interditada até o dia 31/3, como uma das medidas de enfrentamento à Covid-19. A edição nº 5.055, do Diário Oficial do Município (DOM), do último dia 16, traz publicado o decreto municipal nº 5.035/2021, assinado pelo prefeito David Almeida, que interdita a praia.

Com a volta das atividades físicas individuais, permitidas pelo decreto do governo do Estado, o calçadão do parque voltou a ser frequentado, mas os órgãos municipais pedem apoio da população, para manter os cuidados no combate ao novo coronavírus, especialmente para o uso de máscaras e o distanciamento social. As atividades físicas coletivas seguem proibidas no Amazonas, conforme decreto estadual, e as quadras de areia do complexo não estão liberadas.

“Enquanto avançamos na vacinação e buscamos mais doses para garantir melhor segurança da nossa população, não é hora de afrouxar os cuidados, porque o vírus continua a ceifar vidas na nossa cidade. O decreto mantém a restrição da Ponta Negra, para banho e acesso ao balneário, a fim de evitar aglomerações neste momento”, destaca o prefeito de Manaus, David Almeida.

Responsável pela administração do espaço, o Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb) atua para orientar os frequentadores quanto ao uso da máscara e para evitar a aglomeração de pessoas em caminhadas e corridas. As áreas de acesso à praia estão isoladas por cerquites e faixas zebradas e a população não deve ultrapassar as barreiras de isolamento.

Ainda atuam no parque servidores da Guarda Municipal e das secretarias municipais de Agricultura, Abastecimento, Centro e Comércio Informal (Semacc) e da Limpeza Urbana (Semulsp), além da ciclopatrulha, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

Interdições

A praia está interditada desde o dia 18 de setembro de 2020, quando o número de casos da doença voltou a aumentar na capital, e permaneceu fechada, tanto no aniversário de Manaus, em 24 de outubro, quanto nas festividades de fim de ano – Natal e Réveillon.

Qual Sua Opinião? Comente:

Este post tem um comentário

  1. Alexandre

    O subsecretário da logística da Semed Marcelo Campbel está ameaçando todos os funcionários que estão trabalhando em home office pois o mesmo quer todos trabalhando horário normal desrespeitando o decreto do prefeito David Almeida e ainda contratou em plena pandemia uma empresa para instalar ponto facial. O que ele fez na Seduc está se repetindo na Semed . Abuso de autoridade e conflito de interesse. Além do ASSÉDIO MORAL. O ministério público precisa urgentemente fiscalizar este órgão.

Deixe uma resposta