Prefeito de Eirunepé em áudio destinado à PM: “Quem manda aqui sou eu”

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

O prefeito de Eirunepé, Raylan Barroso de Alencar (PROS), gravou um áudio desautorizando o comandante do policiamento local, que determinou um horário limite para o funcionamento de bares e botecos. “”Fica tudo como era antes. Quem determina as coisas aqui sou eu, não é major, não é tenente, não é coronel. Se tiver qualquer tipo de pressão me avisem que eu sei tomar as providências no momento certo”, disse, em tom ameaçador.

Alencar diz que recebeu as chaves da cidade da população e por isso nenhuma ordem pode ser dada no município que não parta dela. O áudio é um show de autoritarismo e falta de noção.

Ouça:

Qual Sua Opinião? Comente:

Este post tem um comentário

  1. Elsa Silva

    Angelo e outros quem determina se um bar fecha ou não é a LEI e não o prefeito, não o governador e nem o presidente da república. A autoridade Policia é cumpridor das Leis que regem um País e se verificados que qualquer bar ou comércio não vem cumprindo estas normas emanadas das Leis deve sim ser fechado pela Autoridade Policial. O Policial não tem que se apresentar a prefeito algum em nenhum lugar, se por cortesia tudo bem, deve ele se apresentar sim ao Delegado de Policia, ao Juiz e ao Procurador da Comarca. A prefeitura cabe cobrar dos bares e comércios em geral a questões sanitárias e seus alvarás para assim funcionarem adequadamente. Um aviso ao prefeito: seu mandato é de quatro anos e o Policial é concursado para tal , então é como se fosse o encontro das águas do Rio Negro e Solimões, amanhã acaba seu mandato e o Policial continua sua missiva de bem servir a população.
    Antônia Cordeiro.

Deixe uma resposta