Pesquisa Action mostra as tendências para a disputa da Prefeitura de Manaus

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

A Action realizou sua segunda pesquisa de intenção de voto para prefeitura de Manaus junto ao eleitorado local, levantando a intenção e rejeição de voto, No cenário estão diversos nomes, os quais se colocaram na condição de pré-candidatos. Como os cenários da primeira pesquisa, realizada em março, foram em parte diferentes, não cabe a comparação gráfica entre os resultados.
A coleta dos dados desta pesquisa ocorreu entre os dias 03 e 07 de julho e ouviu 1.100 eleitores em todas as 6 zonas administrativas da cidade. Todos os pesquisadores usaram EPIs durante o contato presencial com o público, facilitando a sua receptividade para com os procedimentos de abordagem e entrevista. Pelo período recente da coleta dos dados, os resultados da pesquisa podem ter sido influenciados pelos acontecimentos políticos e sociais recentes, como o relaxamento do isolamento e a redução dos casos e mortes por Covid-19 em Manaus, a operação sangria da polícia federal, com prisões e demissões decorrentes desta, a inauguração na av. Constantino Nery, a desativação do hospital de campanha e a internação e remoção do prefeito de Manaus acometido por Covid-19, dentre outras que foram amplamente divulgadas pela mídia local e nacional.

Resultados

Pelos resultados, não somente desta, mas também, de outras pesquisas publicadas em Manaus, indicam, duas fortes probabilidades, a de haver segundo turno em Manaus e um dos candidatos a disputar esta etapa ser Amazonino Mendes. A chance, mesmo não sendo prudente arriscar a mais de 100 dias da eleição, disto acontecer é alta. A disputa pelo direito de estar no segundo turno fica cada vez mais animada.

Intenção espontânea de voto é a variável que representa melhor a temperatura das eleições. Ao contrário da intenção estimulada, na espontânea não se mostram opções para escolha do eleitor. Livre para responder da maneira que desejar, a maioria das citações vem de ligações afetivas entre o candidato e o eleitor. Nota-se, em primeira mão, 62,3% não cotaram nome algum, indicando que a eleição ainda não é o assunto principal entre a população. Não surpreende, pois até poucos dias nem a data estava confirmada. Voltando a atenção para os que se posicionaram, Amazonino Mendes com 12,3% foi o único a alcançar dois dígitos. Juntos, os brancos e nulos, os quais são descartados na contagem dos votos válidos, porém, servem para medir o índice de insatisfação, descrença, decepção para com todos, chegaram a 10,6%. Historicamente, quase a metade destes mudará de opinião. Considerando a margem de erro da pesquisa (±3%), David Almeida (4,5%) e José Ricardo (3,4%) formam um segundo bloco. Outros três, Chico Preto (1,7%), Capitão Alberto Neto (1,2%) e Marcos Rotta (0,9%) lideram um terceiro bloco, formado ainda pelo Coronel Menezes, ex-superintendente da SUFRAMA, com 0,6%, a jornalista Liliane Araújo (0,4%), os deputados estaduais Josué Neto e Ricardo Nicolau, ambos com 0,3%. Pela resposta ser aberta, o apresentador Sikeira Jr foi, mesmo sem ser político, citado por 0,4%.

Para a intenção de voto estimulada e a rejeição, mostram-se todas as opções ao eleitor para escolha. Quando estimulados os eleitores indecisos migram para as opções, caindo de 62,3% para somente 6,1%. Amazonino Mendes foi citado por 28,5% e David Almeida por 16,4%. Como o mais votado não superou os 50%, a eleição seria decidida no segundo turno entre os dois. Faltam mais de 100 dias para o pleito e todos irão trabalhar, articular, compor chapas, desfazer chapas, recompor chapas e, provavelmente, o número de candidatos homologados por seus partidos nas convenções em setembro, será bem menor. Entre 9 e 11, seria um bom palpite. A grade testada nesta pesquisa procurou representar as diversas correntes políticas e suas lideranças locais, com pré-candidaturas oficialmente ou não lançadas. Novos nomes poderão entrar e alguns sair nas próximas publicações, conforme melhor representar o contexto.

Amazonino Mendes, pelo histórico de cargos e realizações, incluindo grandes obras em todo o estado, além disso um legado de eleitores fieis que parece ser suficiente para lhe colocar no segundo turno. A disputa pela segunda vaga, hoje com David Almeida, que vem se mantendo nesta posição, após uma experiência, curta mas exitosa, como governador interino e uma proposta de gestão humanizada, voltada para assuntos sensíveis como remuneração e estabilidade dos servidores. Capitão Alberto Neto e José Ricardo, ambos deputados federais com perfis diferentes de eleitorado, um representa a direita (Capitão Alberto) e o outro (José Ricardo) a esquerda, estão próximos e podem vir a ameaçar David Almeida mais adiante. Ao mesmo tempo, o vice prefeito Marcos Rotta que voltou a TV, o Vereador Chico Preto, a ex- deputada federal Conceição Sampaio e o presidente da Assembleia Legislativa, Deputado Josué Neto, todos entre 3% e 5%, disputam cada palmo do eleitorado. O Coronel Alfredo Menezes, Deputado Ricardo Nicolau, jornalista Liliane Araújo e a ex-secretária de justiça, cidadania e direitos humanos Caroline Braz foram os últimos a assumir a posição de pré-candidato à prefeitura de Manaus. Juntamente com Hissa Abrahão, ficaram entre 0,5% e 2,5%. Importante lembrar que alguns são novatos na política, mas outros, , além de experientes possuem grande influência em nichos de eleitores, como Ricardo Nicolau, cuja projeção de votos é mais difícil de prever por vir de um nicho eleitoral especifico.

A rejeição representa os políticos nos quais você não votaria de jeito nenhum. Na pesquisa foi permitido a citação de até dois nomes, afinal, você só pode votar em um por cargo, mas, pode não querer votar de jeito nenhum em quantos mais não gostar. Conceição Sampaio e Amazonino Mendes tiveram rejeição maior que 15% (Gráfico 4, pg. 11). Chico Preto, Marcos Rotta, Hissa Abrahão e José Ricardo ficaram entre 10% e 15% e Josué Neto, um pouco menos (9,2%).
Entre os demais, rejeitados com menos intensidade, estão David Almeida (3,5%) e Capitão Alberto Neto (5,1%). De certa forma, isso mostra que a eleição não está, pelo menos ainda não, movida pelo ódio entre os eleitores rivais.

LINK DO PDF :

Manaus Julho 2020 Publicação

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta