Peritos fazem “operação tartaruga” e cadáveres se acumulam no IML

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

O segundo dia de Operação Cumpra-se a Lei, uma espécie de “operação tartaruga” dos peritos criminais, legistas e odontolegistas do Amazonas foi marcado pelo acumulo de cadáveres à espera de necrópsia e pela demora na liberação dos corpos para as famílias, diante da falta de recursos para a realização desses serviços. Até o começo da tarde desta quinta-feira (25), 12 corpos que chegaram ao Instituto Médico Legal (IML) ainda não haviam sido necropsiados, causando tumulto dentro e fora do órgão.

As necrópsias começaram a acumular ainda na madrugada, já que o IML não possui foco cirúrgico de iluminação, equipamento exigido nos manuais de perícia. De acordo com a presidente do Sindicato dos Peritos Oficiais do Amazonas (SINPOEAM), Viviany Pinto, o trabalho de necrópsia sempre foi realizado pelos peritos sem as condições ideais, para que não houvesse prejuízo para a sociedade e para a justiça.

“Com a Operação Cumpra-se a Lei os Peritos farão apenas os trabalhos que estiverem estritamente dentro da lei, e não daremos mais ‘jeitinho’ para suprir as falhas do governo. Além dos Peritos, quem sofre com esse descaso é a sociedade”, disse Viviany. A presidente informou ainda que os todos os Peritos estão cumprindo seus plantões e comparecendo ao local de trabalho normalmente, e que apenas se recusam a realizar suas funções quando há alguma irregularidade.

Outro serviço que ficou prejudicado com a Operação Cumpra-se a Lei foi a Perícia e o recolhimento de corpos em locais de crime, principalmente com as diversas ocorrências registradas desde a madrugada. Segundo o vice-presidente do SINPOEAM, Ilton Soares, o problema, neste caso, é que não há viaturas adequadas para a realização desse trabalho. Além disso, os motoristas que realizam esse trabalho não estão habilitados adequadamente para a condução de carros de emergência.

“Para conduzir esses carros, o motorista precisa de uma habilitação específica, e nenhum deles possui. Os carros que estão disponíveis para a condução dos Peritos estão em péssimas condições de funcionamento. Alguns com problemas no freio, outros com falta de óleo. Tem Perito tirando dinheiro do próprio bolso para comprar peças e fazer a manutenção dos veículos. Isso é um absurdo”, explicou Soares.

A diretoria do SINPOEAM informou que a operação Cumpra-se a Lei deve continuar em execução nesta sexta-feira, já que não há nenhuma iniciativa por parte do Governo do Estado em resolver as questões apontadas pelo sindicato.

Fiscalização

Na manhã desta quinta, fiscais do Conselho Regional de Engenharia (CREA-AM) realizaram uma fiscalização no Instituto de Identificação (II), à pedido do SINPOEAM. Diversas irregularidades foram identificadas na estrutura do prédio, e serão incluídas em um laudo que será produzido pela entidade. Na quarta, a fiscalização do conselho já havia identificado problemas no Instituto de Criminalistica e no IML. O Conselho Regional de Farmácia (CRF), que também realizou fiscalização, condenou os laboratórios dos institutos, os quais chamou de “clandestinos.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta