Pela primeira vez a atuação da “eminência parda” dos governos Amazonino, Omar e Melo será oficialmente investigada (veja vídeo)

O meio político e empresarial do Amazonas conhece há muito tempo o empresário José Lopes. Ele exerceu enorme influência nos governos de Amazonino Mendes, Omar Aziz e até recentemente com José Melo. Só ficou mais afastado do poder no período em que Eduardo Braga comandou o Estado. Pois agora seu nome foi citado pelo delator Arnaldo Cumplido, executivo da Odebrecht, e sua atuação será oficialmente investigada pela primeira vez.

A influência de Lopes no Estado sempre foi objeto de especulação. Ele chegou a comandar campanhas eleitorais de Amazonino e Omar. Era uma espécie de “tesoureiro informal”. Muito sempre se falou também de sua ascendência sobre os cofres estaduais. Dizia-se que ele comandava a liberação de pagamentos e negociava com empresários.

Lopes, entretanto, nunca foi investigado nem exerceu oficialmente nenhum cargo. Quando se retirou, no governo Eduardo Braga, abrigou-se em uma enorme fazenda que tem em Boca do Acre, no Sul do Estado, onde cria gado.

Segundo Cumplido, Lopes o procurou assim que Omar assumiu o Governo, em 2010, para tratar de repasses.

Na semana passada especulou-se que Lopes poderia negociar uma delação premiada para escapar da Lava Jato. Não é verdade. Ele não foi sequer chamado a depor ainda, mas será. E quem o conhece duvida que faça algum tipo de delação. A discrição do empresário é justamente o seu maior capital. A foto acima, por exemplo, foi feita fortuitamente durante uma festa de aniversário da filha do senador Omar Aziz, quando este era governador. É uma das raríssimas imagens dele.

Lopes jamais entregou nenhum parceiro. A expectativa agora é para saber como ele reagirá ao cerco da Lava Jato. Fato é que, se Lopes decidir falar, pode derrubar muito peixe grande no Amazonas.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta