Pauderney revela que ele e Wilson vão tentar atrair indústria gigante

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Ao defender a formação de uma força-tarefa para defender a Zona Franca, o ex-deputado  federal Pauderney Avelino (DEM) revelou hoje que ele e o governador Wilson Lima (PSC) estão tentando atrair para Manaus a fabricante de semicondutores, circuitos integrados e módulos de memória Smart Modular Technologies, que está ampliando os negócios no país. “Estive reunido com o presidente dela. Para se ter uma ideia esta empresa faturou R$ 2,8 bilhões, em 2018. A alíquota de IPI para estes produtos é de 15%. Só isso já justifica a vinda para a Zona Franca”, diz o ex-parlamentar.

Pauderney comentou que o governador Wilson Lima deve realizar uma visita a Smart, em junho para apresentar as vantagens comparativas da Zona Franca. Nesta semana, o líder do Democratas fará uma nova visita a segunda maior fabricante de módulos de memória instalada no Rio Grande Sul.

O ex-deputado defende a criação de uma força-tarefa entre Governo do Estado, Suframa, deputados federais e senadores na divulgação dos benefícios da Zona Franca de Manaus para diversas empresas no Brasil, em especial para as indústrias de bens de informática, produtoras de chips de memória de celular e computadores.

“Nós estamos vivendo um momento decisivo para a Zona Franca de Manaus. Nós temos dois procedimentos que estão em curso: um é a definição do processo produtivo básico para os bens de informática e o outro é o IPI, recentemente definido pelo Supremo Tribunal Federal em favor da Zona Franca de Manaus”, comenta Pauderney.

No final de abril, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu permitir o creditamento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) na entrada de matérias primas e insumos isentos provenientes da Zona Franca de Manaus (ZFM). “Isso é segurança jurídica! É o que o investidor busca para abrir novos negócios”, afirma Pauderney.

“Nós temos que juntar esforços e buscar trazer estas empresas para Manaus, que vai gerar tecnologia, emprego, massa crítica, além de gerar um grande volume de recursos que serão produzidos na Zona Franca de Manaus”, conclui Pauderney.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta