Parlamentares do Amazonas se interessam pouco por meio ambiente, ciência e tecnologia, diz Ufam

Um estudo científico realizado por meio de questionário eletrônico, identificou que a maioria dos deputados estaduais, federais e senadores do Amazonas, desconhece as pesquisas científicas realizadas pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). O projeto que teve a duração de um ano foi feito pela aluna do curso de Relações Públicas Lívia Leite Figueira sob a orientação da professora doutora Inara Regina Costa.

Para chegar à conclusão do trabalho que envolveu  35 parlamentares, Lívia aplicou o método pesquisa de opinião e estudo exploratório. Enquanto a pesquisa apresenta as características de determinada população, no caso os parlamentares, o estudo exploratório proporciona uma visão geral sobre determinado fato, quando o tema ainda é pouco explorado.

No desenvolvimento do estudo foi identificado que política e economia são os assuntos pelos quais a maioria dos parlamentares se interessa no dia a dia, com 80% e 56%, respectivamente. “Esse resultado constata a necessidade que os parlamentares tem de conhecer as mudanças e articulações do processo político e seus desdobramentos no poder decisório”, afirma a estudante.

Assuntos sobre ciência e tecnologia ficou com 32% dos interesses diários, meio ambiente com 20% e esportes com 16%. Temas de políticas públicas previstos na Constituição Federal.

Outra constatação é que em relação as notícias de ciência e tecnologia veiculadas nos meios de comunicação, 64% dos entrevistados confiam mais na internet (sites, portais e blogs), ficando a televisão com 48% e o jornal impresso com 32%. Rádio e mídias sociais digitais com 16% cada. Oito por cento dos parlamentares não confiam em meios de comunicação.

Em outro momento do estudo, numa escala de avaliação entre “desinteressado”, até “muito interessado” sobre o assunto ciência e tecnologia, 68% se autodefinem como interessados e muito interessados. Por outro lado, 12%, declaram-se desinteressados ou pouco interessados sobre o assunto e 20% consideram-se medianos.

O levantamento concluiu ainda que 96% dos parlamentares tem interesse em receber resumos de pesquisas desenvolvidas na UFAM. As áreas do conhecimento em que os políticos pesquisados tem interesse em receber resumos são: ciências sociais com 60%, saúde e ciências humanas, 52%, ciências agrárias, 36%, biológicas e engenharia empataram com 24%.

“Os resultados sugerem que divulgação de pesquisas científicas e a integração de competências e habilidades entre pesquisadores e parlamentares podem proporcionar mais benefícios para a população. Ao analisarem as demandas sociais em conjunto, a percepção de valor do conhecimento científico gerado tende a aumentar com propostas mais eficazes”, concluiu Inara.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta