Paralisação de “advertência” dos rodoviários desrespeita Prefeitura e irrita população

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Mais uma vez o Sindicato dos Rodoviárias parou a frota de ônibus de Manaus hoje, por cerca de meia hora, de forma ilegal, para reclamar do atraso no pagamento de vales-refeição, o que gerou todo tipo de transtorno à população e desrespeitou acordos firmados com a Prefeitura de Manaus ainda na data de ontem. O prefeito David Almeida (Avante), que havia recebido garantias de que não ocorreria nada de mais grave, irritou-se ao saber que os motoristas continuavam parados enquanto ele concedia entrevista a uma emissora de televisão.

Segundo os sindicalistas, o pagamento do vale-refeição estava atrasado há 50 dias e os empresários alegavam não dispor de recursos para honrar o compromisso. O prefeito desmentiu a afirmação, dizendo que a Prefeitura pagou R$ 24 milhões às empresas em fevereiro e já desembolsou R$ 10 milhões agora em março, o que seria suficiente para pagar o benefício.

Vários passageiros irritaram-se ao serem obrigados a descer dos coletivos nos dois pontos de concentração escolhidos pelo Sindicato – a rua Leonardo Malcher e a avenida Constantino Nery, ambos no Centro. Quem precisava chegar ao trabalho teve que fazer o restante do trajeto a pé.

A paralisação começou por volta das 11h10 e prolongou-se até às 11h40.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta