Pais “de criação” podem solicitar certidão na Sejusc

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

No Amazonas, pessoas que desejam ter na certidão de nascimento os nomes dos pais socioafetivos ou de “criação” contam com o apoio do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc). Para solicitar a inclusão do nome dos pais socioafetivos, basta comparecer à sede do órgão, localizado na rua Bento Maciel, nº 2, no conjunto Celetramazon, Adrianopólis; e procurar o setor de Cidadania, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Desde novembro de 2017, após o Provimento nº 63, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a ação também pode ser realizada em qualquer cartório do estado.

De acordo com a secretária da Sejusc, Caroline Braz, a medida proporciona a garantia dos direitos e reconhecimento dos pais de criação, sem excluir o nome dos pais biológicos do documento.

“A paternidade socioafetiva é muito comum nos lares. Nela, a relação de pai e filho é estabelecida mesmo sem um vínculo sanguíneo ou adoção. O nosso trabalho é documentar essa relação, garantir os direitos e facilitar esse reconhecimento”, afirma a titular da pasta.

A primeira certidão socioafetiva feita pela Sejusc foi emitida em fevereiro deste ano. A dona de casa Ashirlene Silva e o marido Vagner da Silva procuraram o órgão para incluir o nome na certidão do filho de 2 anos.

“Desde que casamos tivemos o desejo de ter mais filhos, apesar de já sermos pais. Eu tinha vindo de outra relação e fiz uma cirurgia de vasectomia, e esse procedimento atrapalharia os nossos planos”, lembra Vagner. “Foi quando conversamos com a mãe biológica do bebê, que nos entregou a criança desde a maternidade, em 2017. Na época, ela se emocionou em entregar o bebê para gente, pois sabia que cuidaríamos bem dele e eu pude o registrar como meu filho. Neste ano, conseguimos incluir o nome da minha esposa na certidão”.

Documentos necessários – Ao solicitar a certidão socioafetiva é preciso apresentar um documento de identidade com foto, certidão de nascimento da pessoa a ser reconhecida, CPF e preencher o requerimento disponibilizado pelo órgão. O requerimento deve ser assinado pelos pais biológicos e socioafetivos, que também devem comparecer à sede da Sejusc.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta