Pacientes de câncer que precisam de cirurgia vão a outros Estados

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Oito pacientes da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), vão passar por cirurgias oncológicas no Hospital de Câncer 3, do Instituto Nacional de Câncer (Inca), no Rio de Janeiro (RJ). A transferência das pacientes ocorreu na manhã desta sexta-feira (29/01), em um voo da Força Aérea Brasileira (FAB), uma parceria do Governo do Estado, Governo Federal e Inca.

Todas as pacientes têm câncer nas mamas e foram escolhidas pelos serviços de Navegação e da Mastologia da FCecon, que analisaram casos que necessitavam da cirurgia de forma mais urgente, para não se perder o avanço do tratamento. Foi levado em conta, ainda, o estado clínico das pacientes para a viagem e se estavam com a Covid-19. Todas passaram por teste para a doença e tiveram resultado negativo.

Este é um projeto-piloto, e a FCecon estuda novas transferências para realização de cirurgias eletivas, também em outras especialidades.

“Essa parceria é de fundamental importância para mantermos as cirurgias que não podem esperar muito tempo para serem realizadas. Agradecemos ao Inca, que cederá toda sua equipe para a realização dos procedimentos”, afirma o diretor-presidente da FCecon, mastologista Gerson Mourão.

A maior parte das pacientes passou pela quimioterapia neoadjuvante, quando os medicamentos quimioterápicos são aplicados para reduzir o tamanho do tumor cancerígeno e então ser feita a cirurgia. Existe um intervalo de 3 a 6 semanas para a cirurgia ser realizada, sem perder a redução do tumor.

Parceria

A chefe do serviço de Mastologia da FCecon, mastologista Hilka Espírito Santo, ressalta a importância da parceria entre o Ministério da Saúde, SES-AM, FCecon e Inca.

“É uma possibilidade dessas pacientes terem acesso a um tratamento adequado e com tecnologia num hospital de referência, não atrasando o tratamento, apesar das adversidades que o mundo inteiro está passando neste momento de pandemia. Queremos agradecer ao diretor do Inca, Marcelo Bello, por receber nossas pacientes e oferecer o melhor tratamento a elas”, disse Hilka.

Devido à elevada demanda de oxigênio na unidade, a FCecon suspendeu as cirurgias provisoriamente, de modo a garantir que o insumo atual atenda os pacientes já internados. O retorno dos procedimentos é avaliado diariamente.

Acompanhamento

Todo o procedimento é feito pelas equipes dos serviços de Navegação, de Mastologia, chefia do Ambulatório, Diretoria Administrativa, Serviço Social da FCecon e do Governo do Estado, além do Ministério da Saúde, que providenciaram a ida de um acompanhante para cada paciente, informa a assistente social da FCecon, Keyth Bentes. Os acompanhantes foram testados para a Covid-19, tiveram resultado negativo e ficarão em uma casa de apoio viabilizada pelo Inca.

Expectativa

Pacientes e acompanhantes estão com muita expectativa e esperança para a cirurgia no Inca.

Para a paciente Brenda Graziela Oliveira, 24, é uma grande oportunidade. “Agradeço a Deus. Essa foi a melhor opção que o hospital encontrou para não deixar a gente sem assistência nesse momento. Só tenho a agradecer aos coordenadores do hospital, que estão dando toda atenção e cuidado”, disse.

Luciane de Souza Tavares, 41, filha da paciente Lucilândia Rodrigues Tavares, 61, disse que só tem a agradecer. “Devido a essa situação, Deus abriu essas portas pra gente. A gente tem que agarrar e esperar que tudo dê certo. Só tenho a agradecer”, comemorou.

Inca

O Hospital do Câncer III é uma das unidades hospitalares do Inca, que faz parte da rede de alta complexidade do Sistema Único de Saúde (SUS). O hospital presta assistência médico-hospitalar gratuita que inclui cirurgia, quimioterapia, hormonioterapia e radioterapia, além do trabalho assistencial.

FOTO: Laís Pompeu

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta