Operação da PM desarticula base de piratas no Solimões e apreende drogas, armas e lanchas

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Policiais militares do 5° Batalhão, sediado em Coari, realizaram desde o último final de semana uma operação no rio Copeá, um dos principais afluentes do Solimões naquele município, e conseguiram desarticular uma base dos chamados “piratas dos rios”, que costumam agir muito naquela região, apreendendo quatro lanchas, armas e drogas que estavam em poder. A iniciativa contou com o apoio logístico da Prefeitura local.

De acordo com o Tenente Coronel PM Pedro Moreira, que comandou a Operação, após receber denúncias de que piratas estariam roubando lanchas com motores potentes das cidades de Codajás, Tefé e Coari para serem usadas nas ações de pirataria de rio, foi montada uma equipe policial para averiguar, identificar, localizar e prender os responsáveis, além de recuperar as embarcações.

No trajeto, próximo a Comunidade do Paracaúuba, no rio Copeá, por volta das 10h da última terça-feira (19), os policiais militares avistaram um pequeno bote com quatro ocupantes. Ao verem que se tratava de uma equipe da PM, eles abriram fogo e seguiram rumo a margem. Os policiais revidaram atirando contra os infratores que abandonaram a embarcação, fugindo mata a dentro e abandonando o bote com motor de popa 15 HP e duas mochilas. Durante a verificação foram encontrados diversos volumes de drogas  e dois carregadores vazios de armas de fogo calibre .45 e 9 mm. A embarcação e o material foram apreendidos.

No mesmo dia, por volta das 13h, três homens foram avistados trafegando em uma canoa com motor rabeta próximo à comunidade do São João do Moura. Os infratores foram abordados e com estes foram apreendidas duas armas de fogo do tipo espingarda, 10 cartuchos, uma porção de maconha do tipo skunk e R$ 200,00.

Pouco depois, por volta das 15h, os policiais localizaram, próximo à comunidade do Rio Piteira, duas lanchas com motores potentes, sendo a primeira um bote de alumínio de 8 metros, o “Maria Eduarda”, equipada com motor de popa 250 HP marca Suzuki e a outra um bote de cinco metros de fibra, equipado com motor 115 HP YAMAHA, o  “Lima Collor”. As duas embarcações foram roubadas da cidade de Tefé por elementos conhecidos como”Douglas” e “Dominguinhos do Piteira”.

As embarcações recuperadas foram repassadas ontem, por volta das 16h, à responsabilidade dos policiais militares do 3° Batalhão da Polícia Militar, em Tefé. Eles faziam buscas nos rios Tambaqui e Piteira justamente procurando as lanchas.

Ainda ontem, por volta das 11h30, os policiais militares localizaram no rio Tambaqui, próximo à comunidade do Paraíso, outra lancha com bote de alumínio de sete metros equipada com motor 250 HP, marca Yamaha. A embarcação foi roubada no início do mês na cidade de Coari e levada para ser usada na pirataria de rio. Teve sua capota de alumínio removida com serras e foi escondida em um igarapé dentro da mata. No mesmo local, os piratas mantinham um acampamento improvisado que foi desativado pela PM.

O autor do assalto teria sido um pirata conhecido como “Tote da Moisés Bezerra”, a mando de um traficante de alcunha “César Peruano” e guardada no local onde fora encontrada por um indivíduo conhecido como”Criso do Pêra City”.

Nos dias da Operação Policial, foram colhidas diversas informações sobre os piratas de rio que atuam na região, sendo citado como líder de um dos bandos Wugercirley, apelidado de “Gambiarra”. Junto com estes, “Manel do Lago São Gabriel”, “Coca do Moura”, “Marquês do Piteira”, “Eliseu do Nazaré Pinheiro”, “Zulu do Moura”, “Chico Doca”, “Elcinho do Mangueirão”, “César Peruano”, “Pretinho”, “Jeová”, “Gordinho”, entre outros, são integrantes dos dois bandos que roubam nos rios Solimões, Copeá, Japurá, Ati Paraná, Tambaqui e Piteira. Todos usando lanchas potentes e armamento pesado, financiados por traficantes radicados na cidade de Coari.

O material apreendido e as embarcações foram apresentadas na 10ª Delegacia de Polícia Civil em Coari, para os procedimentos cabíveis.

A lancha “Maria Eduarda” é avaliada em R$120 mil; já a Lima Collor tem valor de mercado de R$ 70 mil; a embarcação de sete metros com motor Yamaha custa em média R$ 100 mil e o bote apreendido não sai por menos de R$ 15 mil. Os policiais apreenderam ainda um motor rabeta marca Toyama, com a canoa, avaliados em R$ 1,5 mil.

E uma das mochilas foram encontrados 13 volumes de aproximadamente um quilo cada, sendo cinco de pó de cocaína, cinco de pasta base e três de maconha, no total avaliados em R$ 165 mil. Em outra valise estavam três volumes, sendo um de maconha regional e um quilo e meio de skunk avaliados em R$ 10 mil. Na terceira foram encontrados um quilo de skunk e uma porção pequena de cocaína, avaliados em R$ 5 mil.

Os policiais ainda apreenderam duas espingandas, uma calibre 16 e outra calibre 20.

 

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta