Omar já não esconde rompimento com Amazonino e mobiliza aliados para colocar candidatura de pé

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Se até o início de fevereiro o senador Omar Aziz (PSD) evitava falar abertamente de seu afastamento do governador Amazonino Mendes (PDT), a quem apoiou na eleição suplementar do ano passado. Nos últimos dias, entretanto, ele elevou o tom do discurso, passou a se movimentar abertamente para construir a própria candidatura a governador, incentivando aliados da mídia a atacar o Governo, agendando eventos e arregimentando apoio entre prefeitos, vereadores e deputados.

Omar tem sugerido a aliados na mídia que enfatizem seu papel na eleição de Amazonino, sugerindo que o tirou da aposentadoria e agora está sendo traído por ele. Alguns chegaram a falar em um acordo de bastidor que teria ocorrido no ano passado entre os dois, mediante o qual o governador não seria candidato a reeleição. O objetivo desse discurso é colocar o veterano político como um “traidor” e reforçar o papel do senador como grande liderança política.

Deputados governistas ouvidos hoje pelo blog estão apreensivos com a situação. “Eu sou amigo dos dois e não gostaria que brigassem, mas a coisa está feia”, disse um deles, evidentemente pedindo anonimato. “O Omar me quer ao lado dele, mas eu tenho receio de romper com o Governo e ter minhas bases invadidas por adversários”, diz outro, que conversou com o senador recentemente.

Desde o final do ano passado Omar passou a reunir constantemente um grupo formado pelo prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB), os deputados Pauderney Avelino (DEM) e Silas Câmara (PRB) e mais recentemente Alfredo Nascimento (PR). Dali surgiu a versão de que estava em curso uma articulação para isolar o governador.

No final de semana, Amazonino deu o troco, conversando logamente com o senador Eduardo Braga (MDB).

O distanciamento entre Omar e Amazonino parece cada vez mais irreversível. Mas há bombeiros dispostos a impedir o incêndio.

 

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta