Omar comete mais uma das muitas gafes que vem colecionando como senador

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

20150814111621omarazizlevapito

Omar Aziz foï orientado, enquanto governador, por dois excelentes profissionais de comunicação: o publicitário Durango Duarte e o marqueteiro Jefferson Coronel. Por isso, cometeu poucas gafes ao longo dos pouco mais de quatro anos durante os quais governou o Estado. Bastaram sete meses de mandato como senador, entrenanto, para ele colecionar uma série de bravatas que o transformaram no “clown” do Senado.

Esta semana ele concedeu uma entrevista ao jornal A Crítica prá lá de hilária. Tentando ajudar o governador José Melo, ele só agravou a situação do governo, que não é das melhores. Numa tentativa clara de jogar a culpa nos outros, disse que a presidente Dilma Roussef e o presidente Lula enganaram a ele e a Melo, ao dizer, na campanha eleitoral do ano passado, que a situação do país era boa. Teria sido com base nesse diagnóstico que eles teriam prometido o que prometeram na disputa local.

Melo pelo menos é mais franco. Nunca jogou a culpa em ninguém por eventuais contratempos. Foi sempre muito claro sobre a situação complicada dos cofres estaduais, desde que se deparou com o tamanho da crise.

Omar é mais descarado. Óleo de peroba pouco é bobagem. Quer se aproveitar da fragilidade do governo federal para colocar na conta de Dilma as promessas não cumpridas da campanha eleitoral do ano passado. Como se ele houvesse apoiado em algum momento a reeleição dela. Trabalhou duro nos bastidores pela eleição de Aécio Neves. Convenceu Melo a permitir que o prefeito de Manaus, Artur Neto, ocupasse espaço no programa eleitoral deles para pedir votos ao tucano. E fez isso propositalmente no dia em que Lula veio à cidade pedir pelo então candidato Eduardo Braga e por seu concorrente Franciscio Praciano.

Foi mais uma declaração desastrosa para a coleção que Omar vem fazendo desde que assumiu o Senado e passou a não contar mais com a máquina de propaganda do governo para disfarçar seu despreparo.

Como diria Cássio Cunha Lima, no popular, “te manca, Omar”.

P.S. – Senhores juízes do TRE: Omar Aziz não quer que os senhores julguem as ações que foram apresentadas aí quando da campanha do ano passado. Eles acham que os senhores compôem um “Tapetão”. Repeitem o cara. Ele manda no Estado.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta