No dia do profissional de educação física, um alerta importante

Com a comemoração do profissional de Educação Física neste sábado, 1º de setembro, a Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), reforça o alerta para a importância da prática da atividade física na prevenção de doenças. Representando um dos fatores de risco para o desenvolvimento e agravamento de Doenças Crônicas Não Transmissíveis, como diabetes, hipertensão arterial, câncer, doenças cardiovasculares e respiratórias, a falta de atividade física regular entre a população é uma das preocupações nos serviços de saúde.

O município de Manaus apresenta, de acordo com a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2017), 57,6% da população adulta com excesso de peso. A pesquisa aponta, ainda, que 23,8% da população adulta no município está em situação de obesidade, representando a maior taxa entre todas as 26 capitais brasileiras e o Distrito Federal.

Considerando o crescente envelhecimento da população, fator que também contribui para o aumento no índice de doenças crônicas, o incentivo à prática de atividade física é mais uma questão a ser observado nos serviços na rede básica de saúde, como forma de reduzir riscos, prevenir e controlar o agravamento das doenças crônicas.

Para isso, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) desenvolve estratégias como a inclusão de um profissional de Educação Física, por meio dos Núcleos Ampliados de Saúde da Família (NASFs), em três Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da zona Leste de Manaus, e que tem mostrado resultados positivos para a saúde da população atendida.

A profissional de Educação Física, Silvia Borges, atua, desde 2014, na UBS Ivone Lima, no Coroado, onde trabalha com um grupo de atividade física para a população em geral e outro com idosos. Utilizando o espaço disponível na comunidade e na própria UBS, Silva Borges orienta o grupo de atividade física com a prática de circuito funcional, alongamento, coordenação motora e fortalecimento muscular, além de atividades recreativas.

“O atendimento é feito a partir de encaminhamento por médicos da própria Unidade de Saúde e algumas pessoas ficam sabendo do serviço por amigos ou vizinhos. Mas todos têm que apresentar atestado comprovando que estão aptos para a prática da atividade física ou se apresentam doenças como diabetes e pressão alta”, informa Silvia Borges.

Ela explica, ainda, que o grupo de atividade física reúne até 100 pessoas e que o foco é a prevenção e controle de doenças, garantindo a inserção, nos serviços de saúde, de pacientes que não faziam a avaliação anual de saúde recomendada. Agora, estando inseridos no serviço, participam das ações de orientação nutricional e com psicólogo, assistente social e outros profissionais da UBS.

“Com a prática da atividade física regular, os participantes relatam experiências de perda de peso, redução no uso de medicamentos e também de dores causadas pela inatividade física. Outro grande benefício da prática de atividade física em grupo é o estimulo à convivência social, já que muitos participantes moram sozinhos e a participação no grupo aumenta o círculo de amizades. O objetivo final é garantir que cada um tenha os instrumentos necessários para entender a importância da prática da atividade física e de cuidar da própria saúde, multiplicando as informações junto às famílias e amigos”, destaca Silva Borges.

Usuária dos serviços oferecidos na UBS Ivone Lima, no bairro Coroado, Roselina Rodrigues de Azevedo, de 50 anos, começou a frequentar o grupo de atividade física da Unidade de Saúde há dois anos.

Após passar 30 anos trabalhando como industriária, Roselina Azevedo conta que saiu do emprego com depressão, apresentando colesterol alto e com excesso de peso. Depois da indicação feita por uma amiga, procurou a UBS para iniciar atividade física. “Comecei com 90 quilos há dois anos e hoje estou com 75 quilos. Tinha muitas dores no braço e não conseguia colocar a minha blusa ou levantar os braços, mas não tenho mais esse problema. Meu nível de colesterol está controlado e até participo de corridas de rua em Manaus, sempre com a professora de educação física incentivando, orientando e animando o nosso grupo”, relata Roselina.

Já a dona de casa Ana Cláudia da Silva Lopes, 46 anos, moradora da comunidade Ouro Verde, participa do grupo há quatro anos e destaca a importância da atividade para o incentivo a uma maior convivência social. “Cheguei aqui com depressão profunda. Meus filhos saíram de casa para casar muito cedo e eu não esperava isso, acabei sofrendo muito. Fui muito bem recebida no grupo pele professora e tem sido muito bom. Melhorou minha saúde, eu tinha 60 quilos e hoje o meu peso está em 49 quilos. Conheci muitas pessoas, fiz amizades, o grupo sai junto para passear, almoçar, tomar café. E a professora é mais que professora, é uma amiga nossa, sempre aconselhando ensinando muita coisa”, garante Ana Cláudia.

Na UBS Silas Santos, no bairro São José, o atendimento é feito pela profissional de educação física Karina Gomes Cerquinho, mestre em Ciências de Alimentos pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Entre os diversos trabalhos que executa na UBS, Karina Gomes, em parceria com profissionais do NASF, está incluído o projeto Grupo Na Media, direcionado para o combate à obesidade. Atendendo 21 pessoas, o grupo trabalha temas como alimentação e atividade física.

“É o terceiro ano do projeto e o objetivo é incentivar a mudança de vida com a adoção de hábitos saudáveis. É um grupo operativo, onde os participantes recebem informações sobre alimentação e outros temas importantes para a saúde. Em cada encontro orientamos para que os pacientes escolham uma tarefa que deverão realizar, como, por exemplo, não beber mais refrigerante, assumindo responsabilidade pela própria saúde”, explica Karina Gomes, que também participa dos projetos “Em Movimento – atividade física”, “Desenvolvimento infantil – avaliação de crianças” e “Saúde dos Pés – atendimento aos pacientes diabéticos”.

Na UBS Josephina de Melo, no bairro Jorge Teixeira, o profissional de educação física responsável é Ronaldo Correia de Souza. Há quatro anos atuando na UBS, Ronaldo Souza desenvolve ações de atividade física com um grupo misto de pessoas com treinamento funcional e alongamento, com grupo de gestantes e atividade de ginástica laboral para servidores da Unidade de Saúde.

“As ações são planejadas principalmente para a prevenção e controle das doenças crônicas, mas também no que se refere à saúde mental. A aceitação é muito boa por parte dos pacientes. E própria convivência social no momento da atividade acaba contribuindo para a melhoria da saúde integral dos participantes”, ressalta Ronaldo Souza.

Doenças crônicas

A gerente de Promoção à Saúde da Semsa, Francinara da Silva Lima, explica que as Doenças Crônicas Não Transmissíveis surgem a partir de diversos fatores, sociais e individuais, com desenvolvimento no decorrer da vida e são de longa duração.

Além da falta de atividade física, a alimentação não saudável, o uso do cigarro e o consumo excessivo de álcool são fatores de risco que favorecem o desenvolvimento de doenças crônicas. Para reduzir esses riscos, a Semsa trabalha com ações de incentivo à alimentação saudável, à prática de atividade física, ao abandono do cigarro e para o combate ao uso abusivo de álcool.

“A meta é buscar incentivar a população para práticas saudáveis, o que é essencial para a produção da saúde. Eliminando os fatores de risco, com certeza será possível reduzir a incidência de doenças crônicas”, reforça Francinara Lima.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta