No auge da pandemia, prefeito de Itacoatiara enviou respiradores a Coari, para agradar o filho

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print
A situação do prefeito de Itacoatiara, Mario Abrahin (PSC), se agrava a cada diz, com o surgimento de mais denúncias de malversação de equipamentos públicos para agradar familiares, mas desta vez ele se superou. No dia 18 de janeiro, no pico da pandemia de Covid-19, com o hospital José Mendes superlotado e ele recém-empossado, très respiradores, equipamentos essenciais para as vítimas da doença, foram enviado a Coari, que também vivia uma situação difícil, para atender pedido do filho dele, Thiago Abrahin, que havia sido presidente da Comissão de Licitação daquele município e mantém até hoje um vínculo estreito com a família do prefeito afastado Adail Pinheiro Filho.

Thiago, aliás, é a eminência parda da administração do pai. É dele a palavra final em licitações e contratações, apesar de não exercer nenhum cargo público. “É angustiante, revoltador e desumano, que apesar da superlotação no Hospital José Mendes, nós tínhamos equipamentos, e que por indicação do filho do prefeito forami “emprestados” para atender a população de Coari, com a alegação de que Itacoatiara não precisava e que o outro município estaria em situação pior”, protesta o vereador Robson Siqueira.
Itacoatiara passou por uma situação terrível em janeiro, a ponto de precisar abrir novas valas no cemitério local para acomodar os corpos dos mortos pela Covid-19. Abrahim adotou várias atitudes questionáveis, como dispensar médicos por razões políticas e contratar outros que não tinham registro no Conselho Regional de Medicina.
No dia 18 de janeiro então gerente de enfermagem do hospital José Mendes entregou os ventiladores pulmonares a Elielson Oliveira. Os equipamentos são tombados pelo patrimônio do município sob as numerações 23771, 23773, 23774. Portanto, não poderiam ter outra destinação que não fosse o atendimento à população local.
Seis meses se passaram e com esse tempo muitas vidas se foram em Itacoatiara, mas até o momento os respiradores não foram devolvidos por Coari.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta