“Não vou deixar dívidas nem obras inacabadas”, diz Arthur

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Em visita às obras do Complexo Viário Roberto Campos, que está sendo construído na avenida Constantino Nery, o prefeito Arthur Virgílio Neto afirmou que não deixará a prefeitura com dívidas e nem obras inacabadas ao final de seu mandato. Contabilizando superávit já no exercício de 2018, o prefeito disse que deixará todas as contas pagas e dinheiro em caixa para que o próximo prefeito atue nos primeiros meses da nova gestão. Arthur garantiu que irá concluir todas as obras iniciadas por ele e vai concluir também as deixadas por outros prefeitos, a exemplo do Corredor Ecológico do Mindu.Na Constantino Nery, o prefeito acompanhou parte da demolição dos prédios que foram desapropriados para que sejam construídas as passagens subterrâneas, entre as ruas Pará e João Valério, além da estação de transferência de passageiros do transporte coletivo e demais ações necessárias à complexidade da obra.

“A gente sabe que tem transtorno, mas é temporário. E, quando a obra acabar, a população vai ter um rodoanel que dará várias alternativas ao tráfego de veículos, além de ser uma obra belíssima e que vai dar um novo contorno urbanístico a essa área”, destacou Arthur.

O prefeito afirmou ainda que está “marcando de perto” as empresas que fazem parte do consórcio responsável pelo novo complexo viário para que o prazo estabelecido no contrato, de 15 meses, seja antecipado. “Quero entregar essa obra para a população o mais rápido possível, talvez 12 meses, mas menos de 15, com certeza”, reafirmou.

A disponibilidade em caixa do total de recursos de investimento na obra – R$ 64 milhões – é um dos fatores que aumentam a crença do prefeito em que a obra terminará mais cedo. “Não tem burocracia. Terminou a primeira etapa, faz as medições, recebe. Então, não há porque não trabalhar com rapidez. É trabalhar em três turnos e terminar essa obra bem antes dos 15 meses do contrato”, afirmou.

A confiança no equilíbrio fiscal e financeiro da Prefeitura de Manaus também faz com que o prefeito Arthur Neto reafirme que não deixará dívidas ao seu sucessor. E ele foi adiante, nesta quarta-feira, afirmando também que não deixará obras inacabadas e que irá concluir obras deixadas por seus antecessores, como o Corredor Ecológico do Mindu.

“Teremos quase 200 obras que vão ser executadas a partir deste ano e priorizei aquelas que podem começar e terminar. Estou, inclusive, finalizando obras de outros prefeitos, como é o caso do Corredor Ecológico do Mindu, que é uma obra muito difícil e que pretendo entregar em meados do ano que vem”, garantiu Arthur Neto.

Cronograma 

A primeira etapa da obra do Complexo Viário Roberto Campos está acelerada, com a construção do canteiro de obras, seguindo os padrões técnicos e as leis trabalhistas, demolição dos imóveis, sinalização e intervenções de trânsito. “O principal foi terminar o serviço de sondagem. Precisamos estudar cada ponto e identificar o que tem embaixo. E tivemos pontos positivos, porque identificamos uma boa resistência do solo”, explicou o secretário de Infraestrutura, Kelton Aguiar.

Após levantamento topográfico, todo o trecho em obra recebeu sinalização horizontal, identificando as trincheiras e os locais por onde passam tubulações de água e gás. A perspectiva é de que essa primeira etapa esteja concluída até a próxima semana.

Foto: Márcio James

Qual Sua Opinião? Comente:

Este post tem um comentário

  1. NEY M CARDOSO

    Infelizmente Manaus ja está totalmente endividada. São quase 1 bilhão de dólares em empréstimos. Na administração do prefeito Arthur Neto não consta uma obra de relevância significativa que justifique tais empréstimos. Temos hoje escolas sem segurança e péssima qualidade da merenda escolar, postos de saúde sem medicamentos, ruas e avenidas totalmente esburacadas e com ondulações causadas pela péssima qualidade do asfalto. O querido vereador Carapeta deveria ter uma homenagem, infelizmente o prefeito mais uma vez prefere homenagear pessoas que a população nem se quer conhece. Manaus está totalmente abandonada pelo poder público municipal.

Deixe uma resposta