Na contra-mão da crise, produção do guaraná de Maués cresceu 15% este ano

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

guaraná

O crescimento de 15% na produção do guaraná neste ano será comemorado em Maués (a 259 quilômetros de Manaus) durante a festa em homenagem ao fruto, que acontece no município nos dias 27, 28 e 29 deste mês. De acordo com o prefeito da cidade, Carlos Góes, aproximadamente, R$ 10 milhões foi o valor da receita arrecadada até agora, em 2015, com o processo produtivo do guaraná.

De acordo com Góes, a produção alcançou a marca de 400 toneladas somente este ano. Em 2014 foram colhidas aproximadamente 300 toneladas. Ele ressaltou que para 2016, o município espera duplicar a produção e a receita registrada em 2015, uma vez que a prefeitura distribuiu, aproximadamente, 300 mil mudas do fruto.

“Ainda não conseguimos sobreviver apenas do guaraná, mas a receita que o produto oferece ao município é bastante significativa. O fruto que não é a base da nossa economia tem fortalecido e ajudado pelo menos 300 famílias que trabalham e sobrevivem diretamente da produção do guaraná. Vamos sonhar que teremos o dobro daquilo que nós estamos construindo deste o ano passado para cá”, frisou o prefeito.

Com pouco mais de 45 mil habitantes, Maués teve as atividades nos setores da agricultura familiar iniciadas na década de 60. Com baixa produtividade e a queda dos preços, o município perdeu o status de maior fornecedor para o estado da Bahia na década de 90. Uma parceria entre o poder público e centros de pesquisa de empresas brasileiras, ajudou Maués a retomar em 2004 o posto de maior fornecedor do fruto.

Atualmente o município possui mais de 2,5 mil agricultores familiares que utilizam o sistema de cultura diversificada, incluindo plantio para consumo próprio. Além do guaraná, produtos como a farinha de mandioca, o abacaxi e a melancia têm importante papel na geração de renda do município.

Para a realização da 36ª Festa do Guaraná, Góes informou que ele foi patrocinado pelo governo federal com os ministérios da Agricultura, do Turismo e da Cultura.

“Não vamos gastar um centavo de recurso próprio da prefeitura. Tudo será com parceria gigantesca com o governo federal, através dos ministérios e empresas privadas”, disse.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta