MPF forma grupo específico para combater a corrupção e o crime organizado no Amazonas

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

A atuação do Ministério Público Federal no Amazonas no combate à corrupção e ao crime organizado agora conta com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado no Amazonas (Gaeco-MPF/AM). Composto por seis procuradores da República em exercício no estado, designados por meio da Portaria PGR/MPF nº 975, de 1° de dezembro de 2020, o Gaeco-MPF/AM é o quarto grupo especial criado pelo MPF.

O Gaeco-MPF/AM tem competência para prestar auxílio na investigação e persecução de crimes praticados por organizações criminosas; receber, produzir, analisar e difundir informações de inteligência e contrainteligência relacionadas ao combate ao crime organizado no estado do Amazonas; e atuar nos casos em que o procurador-geral da República determinar a intervenção em virtude de incidente de segurança envolvendo membros ou servidores. Foi instituído por meio da Portaria nº 103, de 15 de setembro de 2020.

Foram designados para compor o grupo os procuradores da República Henrique de Sá Valadão Lopes (coordenador) e Thiago Augusto Bueno (coordenador substituto), Catarina Sales Mendes de Carvalho, Thiago Pinheiro Corrêa, Igor da Silva Spindola e Julia Rossi de Carvalho Sponchiado. Os membros do MPF atuarão no grupo durante o período de dois anos, sem prejuízo de suas funções em seus gabinetes de origem.

O primeiro grupo especial no âmbito do MPF foi criado em janeiro deste ano no estado de Minas Gerais. Ao longo do ano, também foram oficializadas as estruturas nos estados da Paraíba e do Paraná.

Interlocução com órgãos e sociedade 

No exercício da atividade de inteligência no Amazonas, o Gaeco MPF/AM poderá manter interlocução com autoridades e órgãos de inteligência, de âmbito estadual, nacional e internacional para atuação coordenada e recebimento de denúncias de crime, além de atuar como ponto focal de recebimento de relatórios de inteligência e contrainteligência oriundos de agências externas e de outros órgãos do MPF e realizar coleta direta e análise de informações de inteligência, visando identificar e mapear a atuação de organizações criminosas.

Com a criação do Gaeco-MPF/AM, o Amazonas passa a contar com um ponto de contato central para o combate coordenado do crime organizado, de competência federal, junto dos demais órgãos que atuam no estado em nível federal, estadual e municipal.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta