Morre aos 90 Geny Brelaz, a primeira indígena diplomada em curso superior no país

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Morreu hoje em Manaus a professora aposentada do Instituto de Ciências Biológicas (ICB), da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Geny Brelaz, aos 90 anos. Ela foi a primeira indígena diplomada do Brasil. Formadora de várias gerações, faleceu de causas naturais.

“Geny era uma mulher que tinha a cara e a história das lutadoras do nosso País. Com seu jeito impulsivo, quase anárquico, desafiou as normas e as convenções sociais estabelecidas, abraçou a luta em defesa da universidade pública com unhas e dentes, nos surpreendia, nos animava, nos alegrava e nos encorajava nos momentos mais difíceis das greves na Ufam”, diz nota divulgada pela Associação dos Docentes da Universidade Federal do Amazonas (Adua).

“Ela manteve a Adua como nossa presidente em um contexto complicado, ajudando na travessia para um nível melhor de nossa organização. Todo reconhecimento a esta mulher guerreira e irreverente, que se assumia como legítima Munduruku e que com sua bravura conduziu nossas batalhas por uns tempos. Somos [email protected] Geny Brelaz. Sempre estarás presente nas lutas pela emancipação humana”, homenageou o colega professor Jacob Paiva.

“Em 1979, ainda estudante do curso de Farmácia, ela era minha mestra de Micologia e foi quando me apaixonei pelo estudo dos fungos. Uma Mestra das mestras porque ensinava e educava com alegria e vibração, Que descanse na santa paz do Senhor”, disse o presidente da Fundação Hospital Alfredo da Matta, Ronanldo Amazonas.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta