Morre, aos 51, Klinger Araújo, o “Furacão do Boi”, mais uma vítima da Covid-19

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Morreu no início da tarde de hoje no hospital Samel, em Manaus, o cantor e radialista Klinger Araújo, de 51 anos, que era conhecido como “Furacão do Boi”. Ele estava internado desde o dia 13, depois que foi diagnosticado com Covid-19. Os médicos chegaram a declará-lo curado da doença, mas ela provocou problemas nos rins do artista, que não resistiu ao tratamento.

Klinger Araújo destacou-se em Manaus como radialista, apresentando programas populares, quando se engajou no movimento do boi bumbá, que vinha forte de Parintins na década de 90, e acabou se transformando em um dos expoentes do ritmo.

Foi locutor das rádios Alvorada, de Parintins, Cidade e Difusora, em Manaus. Mas era também um artista completo: cantava, imitava, performava e tocava sua inseparável flauta.

Nos anos 2000, sua voz inconfundível ecoou em todo Estado com mais força, quando ele assumiu a apresentação do programa “Fala, Governador”, transmitido em várias rádios de Manaus e do interior. Era uma espécie de prestação de contas semanal do então governador Eduardo Braga, que ele apresentava, na companhia da dupla de humoristas Petro Velho (Juliano Santana) e Abdias (Tiago Caldeira), seus amigos de Parintins, e dos radialistas Ormando Barbosa, Eduardo Silva, Jackson Nascimento e Delson Reis.

No final do ano passado, ele perdeu um dos melhores amigos e parceiros de toadas, Arlindo Junior. Hoje, passa para a eternidade como um dos artistas mais reconhecidos do Amazonas.

Deixa a esposa, Vanessa, filhos e netos.

 

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta