Mobilização grande hoje na cidade para vacinação contra a gripe

Com 959 postos de vacinação distribuídos nas zonas Sul, Leste, Oeste, Norte e Rural, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) iniciou na manhã deste sábado, 13/5, a mobilização do dia “D” de combate à influenza (gripe).

A meta da campanha deste ano, iniciada no dia 25 de abril, é imunizar pelo menos 366.585 pessoas, representando 90% do público alvo total no município de Manaus, conforme a recomendação do Ministério da Saúde. Até este sábado, foram 146.024 doses aplicadas, que representa 35% da meta final.

Durante a abertura oficial da mobilização realizada na Policlínica Castelo Branco (zona Sul), o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto, destacou a importância de a população comparecer a um posto para se imunizar contra a doença.

“A vacinação é essencial para a prevenção da influenza e para evitar as complicações de saúde mais graves que podem ocorrer quando a pessoa contrai a doença, principalmente entre o público considerado de maior risco. A prioridade são os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias”, ressaltou Homero.

Além de idosos com idade a partir de 60 anos, campanha tem como público alvo povos indígenas (aldeados e assistidos pela SESAI), as crianças na faixa etária de seis meses a quatro anos, 11 meses e 29 dias, as gestantes, as puérperas (até 45 dias após o parto), os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional.

A principal novidade este ano na campanha contra influenza é a inclusão dos professores das escolas públicas e privadas. “São profissionais que têm contato diário com muitas pessoas em ambientes fechados de sala de aula, aumentando o risco da doença”, destaca o secretário, lembrando que a gripe é transmitida por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz), destacou o secretário.

Para o militar em reserva, Mario Jorge Aguiar Hipólito, 73, receber a vacina é uma questão de priorizar a saúde. “Eu venho todos os anos nesse mesmo posto receber minha vacina porque preciso cuidar da minha saúde. Quem não vem está perdendo uma oportunidade preciosa”, comentou.

Para quem não pôde aproveitar a chance de se vacinar neste sábado a Semsa vai manter as ações da campanha até o dia 26 de maio em 182 Unidades de Saúde com salas de vacina.

Os professores devem apresentar documentos (crachá, contra cheque ou outro documento) que comprove a profissão. Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais deverão apresentar o laudo médico, receita, carteirinhas dos programas de saúde, prescrição médica ou outro documento que comprove a sua condição clínica para receber a vacina.

Fotos: Marinho Ramos / Semcom

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta