Ministro da Saúde não garante prioridade para o Amazonas na vacinação

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

O ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, era esperado hoje em Manaus com grande expectativa, mas frustrou quem esperava um anúncio de impacto, como a prioridade para o Amazonas, que enfrenta grave crise, na vacinação. “Todos os estados receberão simultaneamente a vacina. No primeiro dia em que chegar a vacina, com a organização, a partir do terceiro e quarto dia já estará nos estados e municípios. A prioridade é o Brasil todo”, disse ele. E defendeu, como grande “novidade”, a adoção do tratamento precoce, que já é adotado no Estado.

Na prática, Pazuello não anunciou nenhuma novidade em mais de três horas de coletiva. Limitou-se a repetir o que já vinha falando, detalhando planos de vacinação e dando conselhos aos governantes do país. Aos prefeitos, recomendou que organizem as salas de vacinação, façam um checklist de depósitos, UBS.

“O secretário indígena estará em missões no Estado para dar esse auxílio. O que o Governo e a Prefeitura, no que precisar, estaremos aqui para dar o apoio”, limitou-se a afirmar.

Durante a solenidade, ocorreu o lançamento do projeto-piloto do Ministério da Saúde, batizado de TrateCOV. O novo método científico na Atenção Primária à Saúde (APS) irá detectar casos de Covid-19 precocemente. Por um aplicativo de celular, profissionais de saúde irão utilizar um protocolo clínico para fazer um diagnóstico rápido da doença nos postos de saúde, através de um sistema de pontos que, segundo o Ministério, obedece rigorosos critérios médicos.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta