Ministro da Saúde elogia estrutura do Delphina Aziz: “Orgulho do Sistema Único de Saúde”

“Esse hospital decorre do esforço das autoridades sanitárias do Amazonas que entregaram uma estrutura hospitalar de altíssimo nível para o amazonense e eu não tenho medo de dizer que deve ser uma referência para a região Norte do Brasil, com certeza. Dá orgulho de se ver um hospital como esse para atender os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS)”. A avaliação é do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que visitiu a unidade no final de semana, ao lado do governador Wilson Lima (PSC).

O Hospital e Pronto Socorro (HPS) Delphina Aziz é a unidade de referência para pacientes diagnosticados com Covid-19 no Amazonas. Na visita, o governador informou que, com a redução das internações pela doença, o estado iniciou um planejamento para o hospital que, em breve, vai retomar cirurgias.

O ministro destacou a importância da estrutura do Delphina para reforçar o atendimento de alta complexidade no estado e ressaltou que a parceria entre o Governo do Amazonas e as prefeituras municipais para a realização de mutirões de vacinação tem sido fundamental para a desaceleração da pandemia em todo estado.

Unidade de referência

Wilson Lima apresentou ao ministro da Saúde uma das alas de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), Bloco Cirúrgico, Centro de Diagnóstico e laboratórios.

“Estive aqui conversando com o ministro e ouvindo as orientações dele e, nesse momento, a gente vai atender aquelas cirurgias que são básicas, de cirurgias gerais, mas vamos tornar o Delphina Aziz uma referência para alta complexidade, porque a estrutura do hospital permite que a gente faça isso”, ressaltou o governador.

Wilson Lima destacou que quando assumiu o Governo do Amazonas, em 2019, a unidade estava subutilizada, tendo somente 30% da capacidade ativada. Em janeiro daquele ano, apenas dois dos seis andares funcionavam com um pronto-socorro, serviço de apoio diagnóstico e 10 leitos de UTI.

A unidade tem hoje 180 leitos de UTI ativos, sendo o quarto maior hospital do país com oferta de leitos de UTI exclusivos para casos de Covid-19. No total, somando com leitos clínicos, o hospital tem 395 leitos em operação e todos os seis andares estão ativos.

O Hospital Delphina Aziz, no auge da pandemia, tornou-se o 3º hospital no Brasil que mais possuía leitos de UTI para pacientes com Covid-19, totalizando 180. Delphina ficou à frente de hospitais como Hospital das Clínicas de São Paulo, Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, no Rio de Janeiro, e Hospital Júlia Kubitschek, em Minas Gerais.

Novos atendimentos

Com a redução dos casos e internações por Covid-19, o Hospital Delphina Aziz passou a ser, desde agosto, uma unidade de retaguarda e de atendimento de outras causas clínicas. E, a partir de segunda-feira (13/09) será ampliado a oferta do Serviço de Apoio Diagnóstico e Terapêutico (SADT) com a previsão de atendimento de 54 mil exames por mês.

Os exames são nas especialidades laboratório clínico, anatomia patológica e citopatologia, endoscopia, radiologia, ressonância magnética, tomografia e de diagnóstico em cardiologia, oftalmologia, otorrinolaringologia, pneumologia e outras. Wilson Lima ressaltou que o parque de imagens da unidade é o mais moderno da América Latina.

Indicadores

O ministro também conheceu indicadores relacionados à pandemia de Covid-19. Na comparação entre agosto de 2020 e agosto de 2021, o número de óbitos caiu 57,7%, o de hospitalizações 62,9% e de casos confirmados 60,9%.

A taxa de transmissão em 09 de setembro é de 0,86. Ou seja, a cada 100 pessoas infectadas irão passar a doença para outras 86 pessoas. Houve redução de 44% na média móvel de casos, comparada com 14 dias atrás e uma queda de 49% na média móvel de mortes, também comparada com 14 dias atrás.

Considerando a população com 12 anos ou mais, contemplada com a vacina, 3.492.276 doses já foram aplicadas em todo o estado até este sábado (11/09), sendo 2.396.022 de primeira dose, 1.049.912 de segunda dose e 46.342 com dose única.

Wilson Lima destacou o apoio do Governo Federal para o enfrentamento da pandemia, especialmente em relação ao envio de vacinas para o Amazonas. “Hoje, eu fiz questão de trazer o ministro aqui para agradecê-lo pelo empenho que o Governo Federal tem dado, que o presidente da república tem feito. Nunca faltou vacina para o Amazonas, nós não ficamos um dia sequer sem vacinar e a gente tá tendo na ponta o resultado disso daí, que é a diminuição de internações, a diminuição de óbitos”, disse o governador.

O ministro destacou que a união entre os governos Federal, Estadual e municipais têm feito a diferença no enfrentamento da pandemia. Ele elogiou o suporte que o Governo do Estado tem dado aos municípios para o avanço da vacinação com a realização dos mutirões Vacina Amazonas.

“Essa é a força do Sistema Único de Saúde, a integração e união entre os estados e municípios. Nós sofremos muito com a pandemia, o estado do Amazonas, como muitos outros estados brasileiros, foi muito penalizado, mas esse drama sanitário trouxe em todos nós o sentimento e o compromisso de bem atender a população brasileira, então essa é a lição que eu trago aqui do Amazonas”, avaliou.

FOTO: Tácio Melo

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta