Mesmo com votação equilibrada para a presidência, Comissão do Impeachment deve favorecer governador

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Por 9 votos a 7 – com uma abstenção surpreendente do deputado Saulo Vianna (PTB) -, a deputada Alessandra Campelo (MDB) foi eleita para presidir a comissão que vai analisar o pedido de impeachment apresentado pelo Sindicato dos Médicos contra o governador Wilson Lima (PSC) e o vice, Carlos Almeida (PTB). A votação foi bem mais apertada do que se esperava e indica que a disputa interna no colegiado pode ser acirrada, mas a vantagem do Governo é nítida.

A tendência, entretanto, é que o Governo tenha pelo menos 10 votos na comissão. Isso porque o deputado João Luiz (Republicanos) só votou em Felipe Souza (Patriota) para presidir o colegiado porque os dois se alinham na bancada evangélica. Os outros seis votos destinados ao candidato derrotado na votação foram de deputados de oposição – Delegado Péricles (PSL), Fausto Junior (PRTB), Wilker Barreto e Dermilson Chagas (ambos do Podemos) – e de dois independentes – Sinésio Campos (PT) e o próprio Souza.

Outro indicador da quantidade de votos do Governo na comissão foi a eleição para relator. O deputado Doutor Gomes (PSC) venceu Fausto Junior por 10 votos a 6. João Luiz se absteve nessa votação, ainda em solidariedade a Felipe Souza.

Mesmo com a possibilidade de haver debates acalorados, a comissão deve rejeitar o pedido de impeachment.

Qual Sua Opinião? Comente:

Este post tem um comentário

  1. ANTÔNIO DIAS DE SOUZA FILHO

    Já está tudo no esquema cuja a Presidente para comandar presidir a comissão de Impeachment é a Deputada Alessandra Campelo e para o Relator é o Deputado Dr. Gomes, que na CPI da Saúde esse Deputado não falou nada e sempre que ele pedia pela a ordem só falava BESTEIRA, este pedido de Impeachment não vai dar em nada pois eles irá salvar este Governo CORRUPTO, mas tem o povo pode fazer manifestações para colocar pra FORA.

Deixe uma resposta