Mercado de comunicação se agita: TV A Crítica perde a Record e Diário perde seu canal

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

O que parecia impossível aconteceu: a TV Record anuncia hoje oficialmente que não cederá mais seu sinal à TV A Crítica, emissora que transmite o programa “Alô Amazonas”, de onde saiu o governador Wilson Lima (PSC). A empresa, ligada à Igreja Universal, vai passar a transmitir a sua programação pelo canal 36.1, que estava arrendado para o grupo Diário do Amazonas, que perde o canal.

É a maior agitação do mercado de comunicação local em todos os tempos e balança os grupos que controlam os dois principais jornais de Manaus, A Crítica e o Diário, bem como os populares Manaus Hoje e Dez Minutos. Outrora muito poderosos, eles agora convivem com os novos tempos, em que a internet está promovendo uma convergência nunca antes experimentada.

A Record tem uma política nacional de operação em canais próprios. Em Belém do Pará a programação já é transmitida assim. Em Manaus, a emissora vem reclamando maior espaço na programação da TV A Crítica há algum tempo. Além disso, o grupo local fechou alguns contratos que não interessam à linha editorial da empresa, basicamente evangélica. É o caso da transmissão do Carnaval de Manaus e do Festival de Parintins.

O canal 36.1, que retransmitia a Record News – canal de jornalismo do grupo nacional -, estava arrendado para o empresário Cyro Anunciação, controlador do grupo Diário. Ele pertence originalmente à Rede Mulher, outra empresa do grupo Record, que anunciou o fim do arrendamento e a retomada da operação própria.

A Record News passa a ser retransmitida em Manaus pelo canal 49, a Local TV, do empresário Cirilo Anunciação, irmão de Cyro, que rompeu com a empresa familiar há cerca de cinco anos.

Segundo o blog apurou, a TV A Crítica deve optar por uma programação totalmente local, o que impõe uma despesa muito maior ao grupo. Existe ainda a possibilidade de passar a retransmitir a Rede TV, cuja bandeira o grupo também administra no Amazonas. A ausência de uma rede nacional maior, que disputa o segundo lugar de audiência, deve fazer um estrago no faturamento da emissora amazonense. Com os jornais já prejudicados pela nova realidade do mercado, a situação da família Calderaro vai se complicando, justamente no momento em que festejavam a enorme vitória política, que foi a eleição de Wilson Lima.

Nos últimos meses, a Record já vinha se preparando para o salto. A emissora arrendou a antena do empresário Nilton Lins Junior, dono das Faculdades Nilton Lins e da MTV em Manaus, além de instalar um amplo escritório no edifício The Office, em Adrianópolis, bem como na antiga sede da MTV, no Vieiralves.

RECONCILIAÇÃO

Nos bastidores, corre a informação de que a nova realidade pode reaproximar os irmãos Cyro e Cirilo Anunciação, com a volta deste ao grupo. Nenhum dos dois confirma.

Qual Sua Opinião? Comente:

Este post tem 10 comentários

  1. eudson lima

    para mim nao e realidade e um fato consumado.. pois ja era comentado e cogitado desde o final do ano passado esta mudança e com esta decisao da rede nacional a mudança ira melhorar em parte a programaçao nacional enquanto a emissora nao tem sua programaçao local variada … sei que a Record Tv nao tem programas em sua grade que agradam ao telespectador amazonense mais enquanto não se tem algo local vamos ficar com o sinal nacional e aguardar pelas melhorias. .

    1. Anônimo

      “Não agrada o telespectador”
      Acho que não agrada pra essa “Calderaro de Bruxaria”

    2. AirtonOliveira

      “Não agrada os telespectador amazonense”
      Acho que não agrada a essa emissora “Rede Calcamario” de comunicação

  2. Roberval Vieira.

    É. Mesmo os mais poderosos- como os faraóis, mudam de rumo ILUSTRE jornalista Hiel Levi. Lições que a vida dá. / Roberval Vieira jornalista e Editor Responsável do “OJornal” de Itacoatiara e do Blog “PtriaDgua.”

  3. Carneiro

    Acho importante que exista um espaço para. A divulgação das notícias e a Cultura local. Mas nesse item, a Rede Amazônica é insuperável em toda a região Norte. As demais deveriam seguiir nos mesmos padrões de qualidade de apresentação.

  4. Almeida Teles

    Seria possível fazer alguma parceria Acritica /CNN Americana? Para transmitir programas. A legislação brasileira permite?

  5. Paula Lhikômo Nokull

    Programação local da acritica é sangue escorrendo o tempo todo na tela. Só assisto as meninas do magazine que são top.

  6. Luciano Souza

    A CNN vai estrear um Canal Brasileiro, CNN Brasil. É uma Oportunidade para a TV A Crítica!!!

Deixe uma resposta