Melo exige que Secom use a palavra “professor” ao se referir a ele em releases distribuídos à imprensa

A Secretaria de Comunicação do Estado mudou a forma como se refere ao governador José Melo desde janeiro. Segundo o blog apurou, ele próprio exigiu que fosse acrescentada a palavra “professor” ao seu nome, nos releases divulgados à imprensa. A mudança faria parte de uma estratégia que pretende melhorar a imagem do governante.

Melo estaria avaliando que, ao abrir mão de ser tratado como “professor”, ele daria margem a ser comparado aos demais políticos e ser tratado pela população como corrupto, incompetente e omisso.

Na verdade, o governador exerceu o magistério por pouco tempo. Logo no início da carreira ele passou a atuar na burocracia, inicialmente na Universidade Federal do Amazonas. Aliado do regime militar, foi designado delegado regional do Ministério da Educação no final da década de 70. Nos anos 80, conheceu e aproximou-se do então prefeito de Manaus e mais tarde governador Amazonino Mendes, que o nomeou secretário de Educação e depois o lançou na carreira política.

Ainda assim, na maioria dos cargos que exerceu Melo fazia questão de ser chamado de “professor”, assim como ocorreu com outro governante famoso, Gilberto Mestrinho, que também atuou pouco lecionando inglês, mas gostava de ser designado com o título.

O problema é que o governo que Melo vem tocando não ajuda muito na mudança de imagem e há professores comentando que o titulo acrescentado ao nome dele acaba sendo uma ofensa à categoria.

Qual Sua Opinião? Comente:

Este post tem um comentário

  1. Elsa Silva

    Sinto-me injuriada em ver este senhor usar o nome professor que é um nome sadio, comprometido com o desenvolvimento cultural, social, profissional, e educativo do ser, que ganha um salário de muita miséria (coisa que não é comum no salário e nas vantagens de ser um governador), sofredor mas tenaz. Pediria a este senhor político que não fizesse uso do o nome PROFESSOR, esta é uma prerrogativa de seriedade e moral coisa que político algum tem a não ser o de CORRUPTO !
    Muito obrigada pela oportunidade.

Deixe uma resposta