Marcelo Amil explica por que citou Ponta Negra e Jorge Teixeira no debate

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Os candidatos Marcelo Amil e Alfredo Nascimento tiveram um novo embate, na manhã desta segunda-feira (5), durante entrevista na Record TV Manaus. Desta vez, Alfredo deixou uma pergunta gravada para o candidato a prefeito pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB), que respondeu o porquê do “Ponta Negra ou Jorge Teixeira” – durante o debate na semana passada.

“Vou cuidar da saúde de Manaus inteira, não só do Jorge Teixeira ou da Ponta Negra, eu sei a diferença dos bairros e também das suas necessidades. Eu fiz esse questionamento para ele durante o debate porque sabemos que existem tratamentos diferenciados por zonas da cidade. O atendimento tem que atender de acordo com o percentual de demanda e não pela localidade. Na Ponta Negra, por exemplo, existem duas policlínicas para atender cerca de 2.500 pessoas em cada uma, enquanto que no Jorge Teixeira há uma unidade para 133 mil pessoas – que só usam o Sistema Único de Saúde (SUS). Eu não tenho como ter uma unidade para atender milhares de pessoas, sendo que em outra localidade há uma demanda menor. Na Ponta Negra é preciso manter a qualidade, mas é no Jorge Teixeira que é preciso construir novas unidades de saúde, além de um tratamento de esgoto”, detalhou Amil.

O embate entre os dois iniciou na última quinta-feira, durante o Debate na Band Manaus. Marcelo Amil usou da expertise para encurralar o candidato do PL. A pergunta repetida de Alfredo Nascimento deixou claro que ele ficou desnorteado e não soube se defender, já que foi prefeito de Manaus e teve a oportunidade de diminuir a desigualdade do tratamento dado pela administração pública às periferias e aos bairros nobres da capital.

“Eu nasci e cresci em Manaus, já me candidatei a senador e vivo a política desde a adolescência quando me uni com meus amigos por melhoria em nossa escola, o que conseguimos. Diferente do outro candidato que passou os últimos 16 anos fora da cidade, eu vivi aqui e sei da realidade. Em uma década muita coisa mudou e os problemas estão escancarados. Sou capacitado e estou pronto para a corrida à Prefeitura porque vivo e conheço essa cidade”, enfatizou.

Ao ser perguntado sobre a retomada da economia devido à pandemia, o candidato do PCdoB foi claro ao explicar que a função do Município é gerar renda. Para isso, Marcelo propõe utilizar o fundo emergencial da prefeitura para fomentar os micronegócios, com um auxílio de R$ 500.

“Assim as pessoas podem comprar carne e espeto para montar um pequeno comércio na frente de casa, assim como a reconstrução do Shopping Cecomiz – que antes era um comércio que aumentava a renda dos microempreendedores da região”, disse Marcelo Amil – que também destacou outras propostas do plano de governo, como a criação da Universidade Municipal de Manaus (UMM) e abertura de concurso público com mais de 1,5 mil vagas para a Guarda Municipal.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta