“Justiça com as próprias mãos” deixa dois mortos e feridos após ataque a DIP de Barreirinha

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Já está virando rotina no interior do Amazonas: diante de um crime bárbaro, parte da população se revolta e tenta invadir a Delegacia local para matar o autor. Só que ontem, em Barreirinha, na região do Baixo Amazonas, a consequência foi a morte de duas pessoas, baleadas possivelmente por policiais que, acuados e atacados, reagiram para se proteger. Tudo ocorreu por causa do estupro e assassinato de uma criança de um ano e cinco meses pelo próprio padrasto. Este sobreviveu e foi transferido para Parintins, a maior cidade do polo.

Já era noite de domingo quando os protestos começaram. Os manifestantes queriam que os policiais entregassem o criminoso. Como isso não aconteceu, passaram a atacar a sede do 42º Distrito Integrado de Polícia. Policiais civis e militares, que estavam de plantão, reagiram depois que duas viaturas foram incendiadas e vários objetos foram arremessados contra o prédio. Temendo pelo pior, eles atiraram para afugentar os rebelados.

Duas pessoas perderam a vida atingidas pelas balas disparadas do DIP, segundo testemunhas. E eram jovens. Roniel Viana, de 26 anos, morreu na madrugada desta segunda-feira, 21, no hospital Padre Colombo, em Parintins.  Ele recebeu um tiro na cabeça. Já Otávio Gabriel, de 20 anos de idade, foi baleado no peito e faleceu na noite do protesto.

Outras pessoas ficaram feridos, mas o número preciso não foi divulgado ainda. Algumas estão ainda recebendo tratamento no hospital de Barreirinha.

O pivô da confusão foi transferido para Parintins antes da violência eclodir no protesto e vai responder por estupro de vulnerável e homicídio.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta