Junta do Sindimetal diz que Vladimir se apropriou de bens que deveriam ser penhorados

A Junta Governativa do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas descobriu, durante investigação, mais um desfalque da antiga diretoria. Na condição de fiel depositário, o presidente afastado Valdemir Santana teria se apropriado de mais de R$ 3 milhões em objetos que deveriam ser penhorado para o pagamento de causas trabalhistas.

Como segundo réu no processo, Valdemir, juntamente com dois advogados, mantiveram a posse indevida de bens de propriedade das empresas Benq Eletrônica Ltda; GBR Componentes da Amazônia e Ecopack Embalagens Recicláveis Ltda, que deveriam ser penhorados pela Justiça do Trabalho.

Valdemir teria alienado, locado ou vendido os bens e não depositado em juízo os valores. Com o comportamento inadequado, os trabalhadores tiveram seus direitos frustrados.

De acordo com o atual presidente da Junta Governativa do Sindmetal, Adriano Mendes, a causa será apurada e a junta viabilizará, por meio legal, a devolução dos valores para os trabalhadores prejudicados.

“Estamos apoiando as investigações que apuram essa série de irregularidades da última gestão. Nós vamos lutar para que o que foi tirado do bolso do trabalhador, dessas empresas, seja devolvido e para que todos os recursos que foram tirados aqui do sindicato retornem para o trabalhador”, afirmou Adriano.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta