Irritado com desobediência de Mário “Paraguaçu”, desembargador bloqueia contas de Itacoatiara e o ameaça de prisão

O desembargador Wellington Araújo (foto) perdeu a paciência com o prefeito de Itacoatiara, Mário Abrahim (PSC) conhecido como “Paraguaçu” pela forma autoritária e arcaica com que administra a cidade. Este último desobedeceu reiteradamente a decisão que magistrado, que havia ordenado o pagamento de uma dívida de R$ 5,6 milhões, fora honorários, com a empresa Estrela Guia, responsável pela coleta de lixo no município, além de retomar o contrato com esta, que havia sido rompido unilateralmente sem justificativa plausível. Agora, as contas da Prefeitura foram bloqueadas e, se a desobediência persistir, o alcaide pode ser preso.

Araújo evocou o artigo 330 do Código de Processo Penal – Desobedecer a ordem legal de funcionário público: Pena – detenção, de quinze dias a seis meses, e multa – em sua decisão, deixando claro que pode mandar prender o prefeito em caso de reincidência. Também determinou o pagamento imediato da multa de R$ 50 mil, que havia sido arbitrada na decisão anterior.

Pouco depois de assumir como prefeito no ano passado, “Paraguaçu” rompeu o contrato com a Estrela Guia e mandou seus auxiliares contratarem os garis diretamente, sem processo seletivo nem concurso. Também alugou caçambas para fazer a coleta de lixo, sem separar sequer os detritos hospitalares. O serviço passou a ser prestado de forma caótica, tanto tecnicamente quanto administrativamente.

A gestão do prefeito do maior município do interior amazonense está longe de ser aquela sonhada pelos itacoatiarenses, que o elegeram por rejeitar as lideranças tradicionais. É comum encontrar nas ruas pessoas dizendo que ele é ainda pior que os antecessores, com métodos bem mais arcaicos, daí a comparação com o personagem Odorico Paraguaçu, da novela de Dias Gomes.

Agora, entretanto, ele decidiu comprar briga coma Justiça.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta