Indenização a mortos no Compaj gera polêmica na campanha

Questionado em entrevista na TV Amazonas, na última segunda-feira, sobre se pretende, se eleito, pagar as indenizações de R$ 50 mil às famílias de presos mortos na chacina no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em janeiro de 2017, o candidato ao governo do Amazonas, Wilson Lima (PSC), disse que “a lei tem que ser cumprida”. As indenizações são defendidas pelo candidato a vice na chapa dele, Carlos Almeida, que é defensor público do Estado.

A declaração de Wilson Lima foi feita durante entrevista na TV Amazonas, no início da noite de segunda-feira. No ano passado, Carlos Almeida cadastrou 54 famílias de presos assassinados e iniciou tratativas para que o governo do Estado pague R$ 50 mil por cada preso assassinado. As indenizações totalizam R$ 2,7 milhões. No total, a chacina entre presos de facções criminosas, que incluiu mortes também na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) e na Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, em Manaus, terminou com 64 mortos.

O valor das indenizações, de R$ 50 mil, conforme divulgado pelo candidato a vice de Wilson Lima, Carlos Almeida, no ano passado, foi definido com base em precedentes de tribunais de justiça superiores. É o defensor público quem representa a família dos presos nas tratativas com a Procuradoria Geral do Estado, cobrando o pagamento das indenizações. De acordo com a legislação, o Estado é responsável pelos presos sob sua custódia.

Qual Sua Opinião? Comente:

Este post tem 3 comentários

  1. Helder Thury

    Fui ouvir a gravação agora pouco, ele na verdade foi contra e não vai priorizar as indenizações

    https://g1.globo.com/…/wilson-lima-e-entrevistado-no…

    JAM 2ª Edição – As famílias dos detentos mortos no massacre do Compaj em 2017 ainda não receberam as indenizações que lhes foram prometidas pelo então governador José Melo. Quando esse massacre completou um ano, o seu vice, o defensor público Carlos Almeida, disse que não era prioridade do atual governo. Se o senhor for eleito governador do Amazonas, vai pagar as indenizações das famílias dos detentos?

    Wilson Lima – A lei tem que ser cumprida. O que é correto é correto. Eu entendo que o Amazonas tem prioridades. Nós precisamos diminuir a fila de hospital. Tem gente morrendo à espera de um atendimento, à espera de um procedimento. Tem o tal do Sisreg, que quem necessita do serviço público de saúde sabe como funciona: você espera três, quatro meses para conseguir fazer, por exemplo, uma ultrassonografia. Tem gente esperando dois, três anos para fazer uma cirurgia ortopédica lá no Adriano Jorge. Tem [paciente] renal crônico morrendo: morre um por semana porque não tem máquina suficiente para fazer diálise e hemodiálise. Nós precisamos resolver, prioritariamente, esses problemas. Segurança pública, a quantidade de homicídios tem aumentado consideravelmente. [Há também] Questão da educação, geração de emprego e renda, essas são as prioridades.

    JAM 2ª edição – As indenizações vão ser pagas?

    Wilson Lima – Nós vamos priorizar o que é mais importante nesse momento: investimentos na saúde, segurança pública, educação, geração de emprego e renda.

    JAM 2ª edição – Então não vai priorizar indenização?

    Wilson Lima – Nós vamos priorizar saúde, segurança pública, educação, geração de emprego e renda.

  2. Valdeney

    Ao meu ver todas às vezes que é perguntado ele foge e responde outra coisa. pq ele não é taxativo e responde um não logo, que era o que a jornalista queria saber?

  3. Anônimo

    Ele respondeu. Disse que vai pagar por que será obrigado por lei, mas que vai priorizar o que ele considera importante: saúde, educacão e segurança.

Deixe uma resposta