“Imbróglio” envolvendo Wilson Lima domina momento da campanha e pode redefinir os rumos

Depois que um site de notícias publicou, ontem, entrevista com Ana Sara Oliveira da Silva, a personagem que teria se envolvido em um “inbróglio” amoroso com o radialista Wilson Lima (PSC), candidato a governador, e este reagiu afirmando que registrará uma queixa-crime contra ela e sua mãe, a campanha eleitoral no Amazonas tomou um rumo perigoso, que pode influenciar decisivamente o voto no dia 7 de outubro.

Até aqui a campanha para governador tinha se limitado ao campo das ideias, mas a partir de agora outro componente entra em campo, o pessoal. Fatores como este já funcionáram contra e a favor de candidaturas no passado. Em 1989, a descoberta de uma filha bastarda do então candidato a presidente Luís Inácio Lula da Silva o prejudicou na disputa com Fernando Collor de Melo, que acabou vencendo a eleição. Já em 2004, em Manaus, um suposto caso amoroso do então candidato a prefeito Serafim Corrêa acabou funcionando a favor dele.

No caso deste ano, Lima é acusado de ter saído com Ana quando ela tinha apenas 14 anos de idade. Os dois teriam mantido relações sexuais, segundo ela. E ele registrou boletim de ocorrência contra ela dois anos depois, alegando incômodos causados pela moça à família dele.

Agora, depois da entrevista em que ela deu detalhes do encontro, ele promete judicializar o caso, por se entender mais uma vez prejudicado pelas “mentiras” dela.

O candidato apresenta bons números nas pesquisas, especialmente em Manaus. Resta saber como o eleitor vai compreender isso.

Colagem fotográfica do site Amazonas Atual

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta