Hissa é eleito vice-presidente da CPI dos Fundos de Pensão

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

20150812111523hissa__cpi_

O deputado federal Hissa Abrahão (PPS) foi eleito terceiro vice-presidente da comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Fundos de Pensão, instaladas na tarde desta quarta-feira (12), na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF).

A comissão vai investigar a aplicação incorreta dos recursos nos fundos de previdências  complementares de funcionários estatais e funcionários públicos. Conforme o parlamentar amazonense, o rombo nos fundos de pensão, como são conhecidos, pode chegar, somente, nos Postalis dos Correios, a aproximadamente R$ 6 bilhões.
“Queremos saber o porquê dos desvios e punir os culpados. Infelizmente o que ocorre atualmente é que o trabalhador repassa para uma previdência complementar parte do seu salário pensando em uma aposentadoria com uma renda melhorada, mas descobre que o recurso do fundo foi mal gerido e desviado”, comentou.
O vice-líder do PPS na Câmara, Hissa Abrahão, disse que a Comissão vai além da investigação dos fundos de pensão dos Correios (Postalis), da CAixa Econômica Federal (Funcef), do Banco do Brasil (Previ) e da Petrobras (Petros). “Precisamos colocar esse país a limpo e mostrar a transparência na gestão do recurso público. Vamos punir os culpads para que o tarbalhador brasileiro nao seja penalizado com os desvios dos fundos de pensão”, disse.
Hissa ressaltou que a CPI vai cobrar o porquê da ausência na fiscalização, por meio  da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), do  Ministério da Previdência, nos rombos dos fundos de pensão. “O Ministério da Previdência tem um órgão de controle e fiscalização, mas pelo que percebemos, não faz a sua parte. Se deixa de fazer a sua parte, o governo está colaborando para os desvios”, analisou.
PRESIDÊNCIA
O deputado Efraim Filho (DEM-PB) foi eleito presidente da CPI que tem como relator o deputado Sérgio Souza (PMDB-PR). Na próxima terça-feira (18), ocorrerá a reunião, as 14h (de Brasília), para apresentação do roteiro de trabalhos da comissão e votação de requerimentos. A CPI é composta por 26 membros titulares e 26 suplentes e tem um prazo de 120 dias para investigar os desvios de recursos dos trabalhadores no período de 2003 a 2015. O pedido de criação de CPI foi do deputado federal Rubens Bueno (PPS-SP).
 FUNDOS
Atualmente 317 fundos de pensão existem no Brasil, onde cerca de 7 milhões de pessoas – entre participantes, assistidos e dependentes – são beneficiadas. Os maiores são ligados a estatais, como o Funcef, da Caixa Econômica Federal; o Previ, do Banco do Brasil; e o Petros, da Petrobras. Os fundos são constituídos com recursos dos servidores e também das empresas. Já acumulam patrimônio de R$ 710 bilhões, que têm sido alvo de constantes denúncias.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta