Heroína que teve 70% do corpo queimado para salvar irmãs mais novas recebe alta

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

No dia 24 de fevereiro último Manuele Farias dos Santos, de 14 anos, foi visitar a avó no condomínio Verona, na zona Norte de Manaus, quando uma botija de gás explodiu na casa de um vizinho e atingiu o apartamento onde ela estava com duas irmãs menores, de 9 e 10 anos.  A adolescente não teve dúvidas e priorizou a vida das parentes, o que lhe custou queimaduras em 70% do corpo. Socorrida pelos moradores e por equipes do Samu, ele foi levada ao Hospital da Criança da Zona Oeste de Manaus, na avenida Brasil, bairro Compensa. Tratada e salva pelos profissionais, teve alta ontem, 33 dias depois do ocorrido, e agora quer retornar à rotina normal o mais breve possível.

Menos ferida, a irmã mais nova também foi atendida na unidade, mas se recuperou logo.

“Aconteceu a explosão envolvendo cinco crianças, entre elas três irmãs. Foram todas encaminhadas ao Pronto Socorro Zona Sul, que é referência de grandes queimados, mas devido à alta demanda de crianças queimadas pediram a ajuda da rede e nós da direção do HPS Zona Oeste, aceitamos o desafio”, relatou o médico Luiz Afonso, diretor técnico da unidade.

Durante a evolução gradativa do quadro clínico, a menina contou com o atendimento de uma equipe completa e multidisciplinar na unidade, conforme explicou Rafaelle de Aguiar, gerente de enfermagem do HPS da Criança.

“Ela começou a evoluir bem com os curativos. Graças a Deus após o 26º dia ela teve alta da UTI e hoje no 33º dia estamos conseguindo dar alta dela. Um trabalho de uma equipe multidisciplinar não só da equipe técnica, médica, mas a equipe de gestão também, que entrou nessa missão e hoje estamos conseguindo obter êxito”, pontuou a profissional, alegre em ver a recuperação da adolescente.

O jeito meigo e a história heróica de Manuele conquistou os profissionais do Hospital que, na despedida, organizaram um grande corredor com balões coloridos e muitos aplausos, momento digno de uma pequena heroína. Sobre o atendimento prestado pela equipe de profissionais da unidade, a mãe da menina, Audilene dos Santos, agradeceu, emocionada, por todo o auxílio que a filha recebeu nos 33 dias de internação.

“Hoje eu estou muito feliz, estou chorando de alegria pelo fato de ela estar saindo. Eu agradeço muito a todo mundo. Até mesmo as pessoas da limpeza, que deram toda atenção para a gente. Eu agradeço muito, se eu pudesse abraçar todo mundo porque eu via que eles queriam a mesma coisa que eu e isso me dava muita confiança”, disse sem conter a emoção, a mãe de Manuele.

Acompanhamento

Durante toda a fase de tratamento, a menina e a acompanhante receberam acompanhamento especializado de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos e outros profissionais que contribuíram significativamente para a evolução do quadro clínico da menina.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta