Hackers tentam invadir portal do Tribunal de Justiça, que toma medidas de segurança

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Com o objetivo de resguardar a rede de Tecnologia da Informação do Tribunal de Justiça do Amazonas, depois de detectar várias tentativas de invasão por hackers, o presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargador Domingos Jorge Chalub Pereira, decidiu suspender os prazos processuais e audiências nos dias 10, 11 e 12 de novembro de 2020, conforme Portaria n.º 2187/2020, para que os técnicos possam fazer um revisão no sistema e tomar medidas de segurança.

Neste período serão realizadas alterações no protocolo dos procedimentos de segurança do parque tecnológico do TJAM, em razão também ataques cibernéticos registrados em outros tribunais.

Além das audiências, também estarão suspensas nesse período as sessões do Tribunal Pleno, Conselho da Magistratura e Câmaras Reunidas, as quais serão retomadas nas próximas sessões. Conforme a portaria, as atividades serão retomadas em 13 de novembro de 2020.

Nas últimas semanas, a equipe técnica do TJAM vem detectando e bloqueando excessivo número de conexões direcionadas ao portal de internet do TJAM (www.tjam.jus.br), o que, possivelmente, é um indício de que indivíduos mal intencionados têm tentado sobrecarregar ou invadir os sistemas informatizados do Tribunal.

Hoje, a equipe detectou um novo padrão de tentativas maliciosas que, devido ao seu volume, foi automaticamente bloqueado pelo equipamento responsável por tratar o fluxo de informações de entrada e saída do TJAM. Este bloqueio de segurança impediu temporariamente os acessos a alguns dos principais sistemas.

Em virtude do ocorrido ao STJ na semana passada, aliado ao recrudescimento das investidas contra os serviços publicados na internet pelo TJAM, os técnicos sugeriram que os acessos remotos aos sistemas sejam realizados mediante conexão segura (VPN).

“Ainda com base na situação de indisponibilidade mencionada, existe a possibilidade das investidas serem recorrentes e coincidirem com a realização da sessão do Pleno transmitida via Iinternet, podendo transparecer que este Tribunal esteja em situação análoga à ocorrida no STJ”, diz comunicado endereçado aos servidores.

Por isso estimou-se em 48 horas o tempo necessário para que a equipe técnica revise a configuração das conexões domésticas dos desembargadores. reduzindo-se os riscos de segurança e de indisponibilidade dos sistemas utilizados.

 

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta