Goreth Garcia desmente versão divulgada por adversários e pede respeito à sua família e voto para Arthur

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

A ex-primeira dama do município, jornalista Goreth Garcia, publicou agora há pouco em seus perfis nas redes sociais um desabafo sobre o ataque deslanchado por opositores de seu ex-marido, o prefeito Arthur Neto (PSDB), veiculando vídeos e áudios em que ela aparece como agredida por ele. A publicação é acachapante. Veja na íntegra.

“É mentirosa e covarde, baixaria de campanha eleitoral, a montagem grotesca que acusa o prefeito Arthur Virgílio, meu ex-marido, de ter-me espancado.

Manipulação abjeta da fraqueza de pessoa ou pessoas por quem tínhamos confiança, para invadir meu lar, gravar, distorcer discussão comum em todo processo de separação, que já é, por si mesmo, doloroso, a “estratégia” eleitoral torpe é desrespeitosa e lesiva, sobretudo a mim, mulher, e aos meus filhos.

Sou senhora, desculpem a arrogância, da minha história pessoal. Sou mulher. Tenho convicções que nasceram com a minha criação familiar, lá em Parintins, quando presenciava as discussões entre meus pais e quando me posicionava de forma até veemente para exigir do meu pai o respeito que ele devia à minha mãe.

Não baixava a cabeça, não calava a minha voz.
Depois dos 18 anos, já na faculdade, ilustrei as convicções da adolescência quando tive consciência da necessidade de estar na luta contra a ditadura, a favor da liberdade de expressão, de opinião, da igualdade de direitos.

Veio a experiência no jornalismo, ampliando e agudizando para mim a necessidade de lutar pela igualdade de sexos, de fazer valer os direitos dos mais desvalidos de meios para gritar, para fazer ouvir a sua voz.

À frente da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh) tive o privilégio de lutar, com a confiança do prefeito na minha capacidade de trabalho, e com equipe que cresce em qualidade a cada dia, por aquelas convicções, ampliando ainda mais meus princípios de humanidade e de respeito às pessoas, mulheres e crianças em sua grande maioria.

Luto e luto, lutamos juntos, todos os dias, para darmos “o melhor de nós” àqueles que tem direitos a serem restituídos, respeitados.

Continuo assim. Luto pelo que considero bom e justo, para mim ou para quem eu ache que devo defender. Eu não negaria a mim mesma, aos meus filhos e aos meus pais, este direito. Não me calaria diante de qualquer agressão de que eu por ventura fosse vítima, fosse quem fosse o agressor. Não houve qualquer violência contra mim. Estou bem. Estou forte.

Agradeço a todos, aos meus pais, especialmente à minha mãe , aos meus irmãos, aos amigos, às pessoas, algumas que não conheço, que se preocuparam comigo, que expressaram solidariedade ou oraram por mim.

E para honrar a verdade:

Apesar do momento pessoal difícil, em que tenho de me dividir entre meu trabalho, cuidar da minha filha Carol, que requer todo o meu amor e desvelo, e do processo de separação, tenho convicção de que o prefeito Arthur é o melhor gestor para Manaus, o mais experiente, o mais preparado e testado, com resultados efetivos.

Peço que respeitem a minha privacidade, da minha família, dos meus filhos.”

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta