Fiscalização de olho em entulhos depositados às margens do Igarapé do 40

Termina nesta quarta-feira, 22/2, o prazo dado pela Prefeitura de Manaus aos proprietários de um galpão situado na Avenida Costa e Silva, no bairro Raiz, zona Sul, para efetuarem a retirada de entulhos descartados irregularmente às margens do igarapé do 40. O descarte foi flagrado por fiscais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) no último dia 15/2.

Os responsáveis foram autuados em 501 Unidades Fiscais do Município (UFMs), o equivalente a R$ 49,5 mil e receberam o prazo de cinco dias úteis para fazerem a remoção dos entulhos, sob pena de serem autuados novamente, desta vez com multa diária. Até às 13h desta terça-feira, 21/2, a retirada não havia ocorrido.

O descarte de entulhos tinha como finalidade promover o aterro e o desvio do curso do igarapé  em um trecho onde as alagações ocorrem com intensidade durante os temporais. Na abordagem, a fiscalização constatou que estavam sendo lançados no local sacos de areia, resíduos de obra e até carcaças de veículos e embarcações, numa ação danosa para o meio ambiente e para a cidade.

O igarapé do 40 foi um dos mais afetados pelas alagações nos temporais registrados na cidade desde o final do ano passado. Por determinação do prefeito Arthur Virgílio Neto, o desassoreamento dos igarapés vem sendo realizado emergencialmente em todos os pontos críticos de alagação, inclusive no 40, como mais uma medida de prevenção. A dragagem dos igarapés, que ocorre atualmente em 15 pontos da cidade, é outro serviço realizado para que ocorrências sejam evitadas, além das intensas campanhas de conscientização direcionadas à população para evitar práticas como esta.

Os proprietários do galpão na Raiz já haviam sido autuados há alguns anos por conta de intervenções no igarapé. Neste ponto, a alagação chegou a causar recentemente a queda do muro de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) da área.

Fotos: Altemar Alcântara e Márcio James/Semcom

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta