Festas clandestinas continuam e tem promotor dizendo que evento era “beneficente”

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Pelo menos três festas clandestinas foram interrompida no final de semana no Estado, com destaque para uma que ocorria no município de Coari (a 363 quilômetros de Manaus), onde 150 pessoas foram detidas e 13 adolescentes apreendidos, na tarde de domingo (28). O promotor do evento chegou a dizer que tratava-se de uma iniciativa beneficente, para arrecadar recursos destinados a pessoas carentes. Além das prisões, 42 motocicletas e um carro de som foram apreendidos na ação coordenada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM).

Equipes policiais da Base Fluvial Arpão e do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM) fizeram a fiscalização, por volta das 17h. A “Operação Pela Vida” aumenta as ações de policiamento ostensivo no estado durante o período de restrição de circulação em virtude da pandemia de Covid-19.

A festa foi encerrada por descumprir o decreto governamental de prevenção do novo coronavírus. Segundo números da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Coari contabiliza 8.985 casos confirmados e 175 óbitos pela doença até este domingo (28/02).

Durante a revista policial no local, 205 caixas de cervejas, instrumentos musicais e quatro porções de entorpecentes foram encontrados com as pessoas. Também houve a apreensão de R$ 1,2 mil em espécie. As pessoas detidas foram conduzidas em um ônibus até a Delegacia da Polícia Civil de Coari, onde os procedimentos foram feitos. Eles vão responder Termo Circunstanciado de Ocorrência pelo crime de desobediência.

Tarumã

Uma festa de aniversário clandestina que acontecia no Ramal da Savana, localizado no bairro Tarumã, na zona oeste de Manaus, foi encerrada durante a “Operação pela Vida”, na noite de sábado (27/02). Cerca de 50 pessoas estavam no local, inclusive menores de idade. Também foram apreendidas várias bebidas alcoólicas e um veículo.

A denúncia foi recebida por agentes do Núcleo Especializado de Operações de Trânsito (NEOT), do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), e por policiais militares do Comando de Policiamento de Área (CPA) centro-oeste. “Pedimos que uma viatura fizesse o reconhecimento antecipado. Chegamos no local e constatamos, realmente, essa aglomeração”, disse o tenente-coronel Augusto Cézar, que coordenou a operação.

Um participante da festa, aparentemente embriagado, se recusou a fazer o teste do etilômetro, além de apresentar uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) com categoria incompatível com o veículo que estava conduzindo. O carro, modelo Dodge Ram, foi recolhido ao parqueamento do Detran-AM.

Agentes da Central Integrada de Fiscalização (CIF) também foram acionados para a ação. A Polícia Civil também esteve no local para realizar os procedimentos cabíveis. Uma mulher de 31 anos, proprietária do espaço, também será responsabilizada. “A responsável pela festa, bem como todos que foram encontrados aqui foram conduzidos para a Delegacia-Geral; e responderão pelo crime de desobediência e infração relacionada ao Art. 268 do Código Penal”, explicou a delegada Kelene Passos, que acompanhou o procedimento.

Todos os envolvidos foram detidos e conduzidos à central de flagrantes, que funciona na Delegacia-Geral da Polícia Civil. Eles assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e irão responder por descumprimento de medida sanitária e crime de desobediência. O crime é passível de multa estipulada por um juiz.

Mulher presa

Policiais militares da 2ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) na viatura 6018, por volta das 21h, de sábado (27/02), acionados pelo Centro Integrado de Operações Policiais (Ciops), detiveram uma mulher, de 33 anos, responsável por uma festa clandestina no beco da Igreja, bairro de Educandos, zona sul de Manaus.

Com o apoio das outras equipes da 2ª Cicom, os policiais chegaram no local e constataram música em alto som, aglomeração de pessoas dançando e ingerindo bebida alcoólica, inclusive, com a presença de menores de idade no recinto da festa clandestina.

Diante do descumprimento do Decreto Governamental, em que estabelece as medidas de restrição à circulação de pessoas, a responsável pelo evento e demais envolvidos foram conduzidos para a Delegacia Geral para as providências cabíveis.

FOTO: Erikson Andrade

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta