Estado vai reativar abrigos para recolher população de rua de Manaus

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Equipes da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) iniciaram, nesta quinta-feira (14/01), o levantamento de espaços públicos que podem receber a instalação de um novo abrigo emergencial para o acolhimento de pessoas em situação de rua, como medida de enfretamento ao novo coronavírus (Covid-19).

A ação foi coordenada pela secretária titular da pasta, Mirtes Salles, que realizou visitas técnicas e coleta de informações na Arena Amadeu Teixeira, Centro de Convenções (Sambódromo) e Ginásio Poliesportivo Renée Monteiro, localizados nas zonas centro-sul e oeste de Manaus.

“Isso foi o primeiro pedido do governador Wilson Lima. Preocupado com a proliferação do vírus em todo Estado do Amazonas, ele pediu uma ação imediata da Sejusc em relação às pessoas em situação de rua, a exemplo do que foi feito no ano passado. Nós precisamos ter a menor quantidade possível de entrada nos hospitais, para isso precisamos fazer ações preventivas. Então cuidar hoje desse público, que está exposto 24 horas ao vírus, é fazer uma prevenção para que não acabem nas listas dos prontos-socorros”, disse.

Sobre as visitas técnicas e coleta de dados, a gestora da Sejusc destacou que foram verificados nos locais pontos como instalação elétrica, hidráulica, entre outros. “Nós não podemos montar um abrigo em um lugar, por exemplo, que vai depender de uma reforma para daqui 1 mês, porque é tudo para ontem, o vírus não espera. Então é uma ação realmente emergencial, uma ação de guerra”, explicou.

A gestora destacou que se reunirá com os titulares das secretarias de Cultura e Economia Criativa, Segurança Pública (SSP-AM), assim como dos demais órgãos da rede de assistência social do Estado, formada, além da Sejusc, pela Secretaria de Assistência Social (Seas) e Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS). A reunião contará também com representantes da Defensoria Pública do Estado (DPE-AM), da União (DPU-AM) e do Ministério Público Federal (MPF-AM) e do Trabalho (MPT-AM), tendo como objetivo o alinhamento de atividades no novo abrigo emergencial que será montado.

Entenda

Em 2020, o Governo do Amazonas montou três abrigos emergenciais voltados às pessoas em situação de rua, sendo na Arena Amadeu Teixeira, no bairro Flores; no Centro de Educação em Tempo Integral (Ceti) Áurea Braga, na Compensa; e no Centro de Convivência da Família Miranda Leão, no Alvorada. À época, o Governo também criou um ponto de alimentação e higienização para esse público no Centro de Convivência Estadual do Idoso (Ceci), na Aparecida.

Durante seis meses, servidores do Estado, Organizações da Sociedade Civil (OSCs) e voluntários atuaram nos espaços com trabalhos de acolhimento, atendimento médico, psicossocial, entre outros. Além disso, os espaços forneciam até cinco refeições diárias aos acolhidos, além de estruturas com banheiros para a realização de higienização.

FOTO: Raine Luiz

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta