Especialistas apostam que PT não ficará nem com David, nem com Vanessa após decisão de juiz

Especialistas em direito eleitoral ouvidos hoje pelo blog afirmam que o Partido dos Trabalhadores deverá caminhar sozinho nas eleições deste ano, depois que o juiz eleitoral Marco Antonio Ribeiro da Costa (foto) decidiu anular a aliança com PSB, PMN, PROS e PODEMOS. É que o partido não assinou a ata da Convenção do PC do B, como prevê a lei. Portanto, não poderia montar uma nova coligação com os comunistas.

O movimento decisivo para que o juiz decidisse tirar o PT da aliança com o deputado e candidato a governador David Almeida (PSB) foi o ofício encaminhado pela direção nacional da legenda, informando que a aliança prioritária dos petistas no Amazonas seria com o PC do B. Por isso, Costa deixou uma brecha na decisão para esta nova aliança, que esbarraria em problemas burocráticos.

Sem o PT, o tempo de televisão da candidatura de David Almeida será reduzido drasticamente. Como o cálculo é feito com base no número de deputados federais de cada partido, a ausência dos petistas, que têm a maior bancada na Câmara Federal, pesa bastante. PMN e PROS têm pouquíssimo tempo. PSB e PODEMOS vão garantir alguns segundos a mais. Mas o partido de Lula garantiria um equilíbrio de forças com as coligações maiores, montadas pelo governador Amazonino Mendes (PDT) e pelo senador Omar Aziz (PSD).

Mal orientado, Almeida cometeu o erro de romper com Vanessa, o que desagradou a direção nacional do PT. O candidato olhou apenas para uma possível rejeição da comunista, mas não para a conjuntura, e acabou levando o PT para um buraco.

Sozinho, o partido terá dificuldades de eleger uma bancada na Assembleia Legislativa e o deputado José Ricardo Weddling terá que contar com uma excelente votação para garantur sua vaga na Câmara Federal.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta