Em nova palestra, Arthur volta a defender o valor da floresta preservada

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

“Uma árvore em pé dá muito mais lucro que uma árvore derrubada”. Com essa frase, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, destacou os avanços obtidos na geração de empregos verdes e na preservação da Floresta Amazônica durante o painel de lançamento do Fórum de Cidades Pan-Amazônicas (FCPA), realizado de forma virtual nesta quarta-feira, 4/11, com o tema “Governos Locais e Desenvolvimento Sustentável”.

“As escolhas têm que ser feitas agora e precisamos tomar as decisões agora. É importante mantermos a floresta em pé. Ela derrubada dá dinheiro por 20 ou 30 anos, depois não sobra nada, apenas desertificação. Enquanto agente empregador, a Prefeitura de Manaus é a segunda maior geradora de empregos na cidade, ficando apenas atrás da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), responsável por manter a floresta em pé”, apontou Arthur Neto, que integrou as discussões sobre “Oportunidades locais: Empregos Verdes nas Cidades Pan-Amazônicas”.

Na ocasião, Arthur apresentou ainda os resultados obtidos em sua gestão como a criação de oportunidades sustentáveis e a preservação de áreas verdes. “É impossível falar em ecologia sem falar em Manaus. Uma cidade superavitária, com uma gestão equilibrada. Temos compromisso com a sustentabilidade e somos a voz para falar, inclusive, internacionalmente sobre meio ambiente”, avaliou o chefe do Executivo municipal.

O prefeito, que conclui seu terceiro mandato em dezembro deste ano, sendo o segundo consecutivo, também disse que está deixando um legado com perspectivas de futuro. “Protegemos, aproximadamente, 2,8 milhões de metros quadrados de áreas públicas com a criação de parques da Juventude, corredores ecológicos, além das Áreas de Preservação Ambiental (APA). Tudo isso se alia à estrutura tecnológica que estamos criando com a construção do Casarão da Inovação Cassina, o Centro de Cooperação da Cidade e todas as nossas obras de mobilidade que integrarão a capital”, enumerou.

Arthur defendeu uma reforma profunda na Zona Franca de Manaus. Para o prefeito, é necessário investir em capital intelectual, criar novos polos e uma estrutura adequada, para que o crescimento sustentável aconteça, como a criação de um novo porto e melhoria na telefonia e internet da cidade. Além disso, afirmou que acompanha atento a eleição para presidente dos Estados Unidos. “Estou torcendo para o Biden, pois será insuportável para o mundo se o Trump ganhar”.

De acordo com dados apresentados pela ONU Meio Ambiente, das dez piores cidades com coleta de esgoto, sete estão na Amazônia brasileira. Manaus avançou mais de 25% nessa questão, como afirma o prefeito Arthur Neto. “Há quase 30 anos, fui o primeiro prefeito a fazer drenagem em Manaus. Quando assumi pela segunda vez, em 2013, Manaus tinha apenas 4% de cobertura em saneamento básico. Entregaremos com mais de 30%. Manaus tinha um problema grave de abastecimento de água, agora há água em abundância”, finalizou.

O FCPA é uma iniciativa do I Clei América do Sul e da Way Carbon, apoiada pela Fundação Konrad Adenauer, por meio Programa Regional de Segurança Energética e Mudanças Climáticas na América Latina – Ekla. O painel tem como objetivo, promover o intercâmbio de conhecimentos, práticas e modelos de desenvolvimento sustentáveis.

Qual Sua Opinião? Comente:

Este post tem um comentário

  1. Alexandre

    Quando vão corrigir a altura da passagem de nível da Constantino Nery que continua irregular por está com altura abaixo do permitido pelo CONTRAN???

Deixe uma resposta