Em nota distribuída pela Secom, Melo diz que ainda vai lutar pelo mandato

A Secretaria de Comunicação do Estado divulgou press release hoje com um balanço do Governo José Melo. Na busca por encontrar um legado dele, o texto destaca “o equilíbrio econômico e financeiro”. E no que diz respeito à cassação, afirma que o governador cassado vai recorrer às últimas instâncias da Justiça para tentar preservar o mandato.

Veja o trecho em que ele se refere à luta na Justiça:

“Não posso aceitar tamanha injustiça. Ganhei as eleições pelo voto limpo de milhares de amazonenses que acreditaram em um governo coerente e comprometido com as pessoas. Governamos sob ataques e grande perseguição. Mesmo assim, o nosso governo avançou, e apesar da crise, implementamos programas e projetos para melhorar a vida de todos os amazonenses, da capital e do interior. Jamais usei de artifícios ilícitos para ganhar eleição. O que fiz foi caminhar todos os dias e ouvir as necessidades do meu povo. Foi com um programa de governo voltado para a solução de problemas históricos que conquistamos cada voto. Cada novo apoio vinha de quem não queria mais um governo frio, arrogante e distante da realidade do nosso estado. Foi assim que ganhamos a eleição, de forma limpa. E por acreditar na justiça, vamos até a última instância, até o último recurso para mostrar que não houve compra de votos. O Amazonas não merece o que está acontecendo e isto é resultado de uma grande perseguição política e pessoal, uma verdadeira obsessão pelo poder, de quem não tem e nem nunca teve compromisso de fato com o povo amazonense. O que nosso governo fez, mesmo em tempo de grave crise econômica, foi equilibrar o estado e não deixar quebrar, muitos  resultados ainda serão colhidos, na promoção social e geração de emprego, renda e desenvolvimento sustentável. Tudo isso fala mais alto, ecoa na realidade de um estado mais eficiente e capaz de gerir seus recursos. É este o nosso legado, um Amazonas que honra seus compromissos com os servidores ao passo que anuncia investimentos que melhoram a vida das pessoas, levam dignidade e respeito e tiram muitos amazonenses do isolamento”.

Na história da Justiça Eleitoral no país, jamais o Supremo Tribunal Federal reformou um decisão do Tribunal Superior Eleitoral, que é presidido e formado por ministros do próprio STF.

Além disso,  já está no TSE outro processo que também trata do “Caso Nair Blair” – aquele em que o placar no Tribunal Regional Eleitoral foi estranhamente revertido para 4 x 3 pela absolvição de Melo, depois que de estar 4 x 0 pela cassação. Como as acusações são muito parecidas, é possível que o recurso apresentado pela coligação “Renovação e Experiência” seja acatado e ele seja cassado mais uma vez.

Na pauta do TRE existem ainda mais 23 processos, entre eles aquele em que o Ministério Público Federal denuncia a utilização da Polícia Militar na campanha.

Vai ser praticamente impossível que ele retorne ao mandato. O meio político não trabalha mais com essa possibilidade.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta