Eduardo faz o mais duro ataque ao governo federal: “negacionismo e falta de planejamento”

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

A explosão da pandemia no Brasil é resultado do negacionismo e da falta de planejamento e vontade política do governo federal para comprar vacinas. A avaliação é do senador Eduardo Braga (MDB/AM), que lamentou, em entrevista nesta quinta-feira (11) à Rádio Senado, o número recorde de mortes diárias registrada no país pela covid-19 – 2.349 na última quarta-feira (10), quase cem mortes a cada hora.

O parlamentar ponderou que “quem não se planejou e não comprou vacina no semestre passado agora está correndo atrás do prejuízo”. Ele lembrou, também, que, em audiência no Senado, um mês atrás, alertou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre a urgência de reforçar a vacinação no Amazonas para bloquear a variante que havia surgido no Estado, muito mais contagiosa e letal.

Inferno

“É uma tragédia anunciada”, criticou Eduardo Braga, em referência ao agravamento da pandemia e ao colapso sanitário que já ameaça a maioria dos estados brasileiros. O senador disse ser ainda irrisório o número de doses de vacinas aplicadas no país e comentou que, embora a imunização tenha sido reforçada no Amazonas, depois da pressão política sobre o Ministério da Saúde, a situação no Estado ainda é trágica. “Saímos do subsolo do inferno para o inferno”, comparou.

O líder do MDB também rebateu o argumento apresentado pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, de que o governo federal estaria com mãos atadas para combater a pandemia devido a decisões do Supremo Tribunal Federal. “Não é verdade. O que o Supremo disse é que existem competências concorrentes entre União, estados e municípios para adotar medidas de distanciamento social”, explicou.

Transparência

O Congresso Nacional tem feito a sua parte no combate à pandemia, segundo o senador Eduardo. Entre outras medidas, ele apontou a aprovação do projeto –já sancionado pelo presidente Bolsonaro – que facilita a compra de vacinas, permitindo também a estados, municípios e iniciativa privada a aquisição dos imunizantes.

Importante ainda, na opinião de Eduardo Braga, é o trabalho da Comissão de Monitoramento da Covid-19, recriada pelo Senado a pedido do parlamentar do Amazonas. A comissão é estratégica para fiscalizar as ações do governo e garantir a transparência das informações sobre a vacinação e o combate à pandemia.

“O que é anunciado não é cumprido”, alfinetou o senador, lembrando que, um mês atrás, Pazuello havia prometido que a vacinação no Amazonas para pessoas acima de 50 anos começaria “nos próximos dias”. Na verdade, quem tem acima de 60 anos só vai começar a ser imunizado na semana que vem.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta