Drama ambiental: em São Gabriel da Cachoeira, lixão já fechou até escola indígena (veja vídeo)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Um vídeo está circulando em aplicativos e redes sociais, mostrando uma realidade trágica da comunidade Boa Esperança, está chamando a atenção de autoridades no meio ambiente em todo o mundo. Nele, o líder comunitário Clemeu Cordeiro, com um facão nas mãos, que usa para espantar insetos, faz um apelo dramático ao Exército – que é muito presente na Região -, e “ao pessoal do meio ambiente ou dos direitos humanos”, para que vejam a situação de um lixão, em constante combustão, que já causou até o fechamento da escola local.

Segundo Cordeiro, crianças recém-nascidas e idosos não conseguem respirar direito devido à fumaça que sai do lixão. A situação é ainda pior porque o cheiro que inala do local é horrível e os insetos atraídos pelos detritos invadem também a comunidade, localizada no quilômetro 7 da estrada de Cucuí.

A Prefeitura local, comandada também por um indígena, Clóvis Saldanha, o “Corubão” (PT), é diretamente responsável pelo lixão. O prefeito não parece estar muito preocupado com a situação da escola municipal Boa Esperança, cujos alunos estão sendo obrigados a caminhar alguns quilômetros para frequentar outro estabelecimento, fora da escola, já que a fumaça impede a realização de aulas na comunidade.

“Estive neste local há alguns meses. Parece uma comunidade medieval. É uma situação terrível”, diz o advogado Ricardo Gomes. Assim como ele, qualquer um que se depare com a situação toma um susto com a imagem.

O município não tem aterro sanitário devidamente regulamentado.

Veja o vídeo:

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta