Destruir é fácil. Reconstruir é que são elas

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Por Dauro Braga*

Já vi imensos conglomerados serem implodidos em menos de um minuto pela ação destruidora de pequenos objetos colocados estrategicamente em pontos responsáveis por sua sustentação. Acho que o inventor desse processo tirou alguma lição no método que David utilizou para derrotar o gigante Golias, ao descobrir que todas as coisas tem um ponto sensível que atingido por um objeto de relativo poder destruidor, por menor que ele seja, põe por terra o mais forte de todos os seres e coisas animadas ou inanimadas.

Desconheço porém que exista qualquer técnica de engenharia moderna ou maquinário de última geração que ofereça condições para reconstruí-lo em um ano, mesmo havendo dinheiro disponível para a sua reconstrução. Faço essas considerações preliminares porque no cotidiano atual vejo a imprensa marrom e os políticos corruptos da oposição tributando ao governo Bolsonaro todas as mazelas que hoje existem na nação. Essa imprensa tendenciosa comprometida inteiramente com o sistema de governo anterior de onde tirava grandes proveitos, hoje ataca diariamente o novo governo e quando é contestada formalmente ainda se faz de vítima.

O povo já cansou de ouvir a mesma lenga-lenga diária onde a crítica improcedente sobre as medidas moralizadoras e saneadoras que o novo governo vem tomando, tem se tornado a manche diária da imprensa venal que procura através de mentiras destruir o novo projeto de governo onde o principal foco é a reconstrução de uma nação destroçada pela ação danosa de corruptos impatriotas. O resultado dessa infundada campanha difamatória empreendida por parte da imprensa, tem se traduzido na perda de audiência e a debandada de anunciantes. Com isso, os poderosos impérios econômicos da mídia já começam a desempregar os monstros sagrados do jornalismo que militavam em suas hostes há várias décadas, ou a negociar a redução de seus salários.

Um enfermo portador de doença grave e transmissível que só agora se manifestou, não adquiriu o poderoso vírus recentemente, o traz consigo como legado de uma vida desregrada. Tal como esse enfermo, também o é a nação brasileira. Contaminada no passado por poderoso vírus, hoje necessita de um tratamento rigoroso para evitar sua
propagação ou até mesmo o óbito. Como pode o governo Bolsonaro ser o responsável pelo mal que infeccionou a nação se o mesmo foi contraído no passado quando ele nem era candidato a presidente da república?

Prossigam nessa postura de inverter os valores e repetir a eterna cantilena da mentira na tentativa de transformá-la em verdade, que a perda da credibilidade será o grande tributo que irão pagar. Quem cometeu o crime de destruir a nação ao surrupiar recursos públicos destinados a saúde, educação, segurança e infraestrutura, desestruturando as Instituições republicanas foi o (PT) e seu comandante em chefe, o presidiário (LULA). Vão cobrar deles a conta relativa ao grande estrago que fizeram a nação. Não queiram que esse governo atual conserte em nove meses o que ladrões levaram treze anos destruindo. Políticos corruptos, ONGS nacionais e internacionais, sindicatos, instituições que se dizem filantrópicas e vários movimentos paredistas de atividades altamente suspeitas, viveram durante o período de desgoverno do PT roubando da nação os preciosos recursos públicos tirados do tesouro nacional através de operações contábeis altamente sofisticadas que conseguiam legalizar essa roubalheira.

Essa campanha difamatória que a oposição faz contra o governo atual é uma represália às medidas moralizadoras que Bolsonaro adotou para evitar que esses bandidos continuassem a sugar as tetas da nação.

O Brasil segue uma nova trilha sob o comando de um homem sério, justo, honesto, e um administrador competente. Sua formação cristã e seu caráter não lhe permite ser um mágico ilusionista capaz de enganar a platéia deslumbrada mostrando-lhe uma realidade que não existe. Esperem uma administração séria e transparente, onde o trabalho, a ordem, o sentimento cívico e a honradez nortearão sempre as ações de governo.

*O autor é empresário aposentado ([email protected])

Qual Sua Opinião? Comente: