Deputados desafiam José Melo e aprovam emendas que beneficiam policiais civis e militares

Numa clara afronta ao governador José Melo, os deputados estaduais aprovaram hoje, durante a discussão da  Lei Orçamentária Anual, três emendas que beneficiam as carreiras de policiais civis, militares e bombeiros. 

“O que aconteceu aqui foi uma demonstração de que a Assembleia Legislativa do Amazonas está ao lado do povo, dos trabalhadores porque a aprovação das emendas na Comissão (de Finanças) e no plenário foi por unanimidade. Todos votaram favoráveis, então eu quero parabenizar os meus colegas, pois isso é uma demonstração de independência do Poder Legislativo. Iniciamos um novo tempo na Assembleia”, comentou a deputada Alessandra Campelo (PMDB), que é escrivã concursada da Polícia Civil.

As emendas foram divididas em três partes. Para a Polícia Civil, os deputados garantiram no Orçamento o valor de R$ 45 milhões para o pagamento da terceira parcela da lei de reestruturação remuneratória dos trabalhadores da instituição.

Em relação à categoria dos militares, o montante aprovado em emenda é da ordem de R$ 22,5 milhões, sendo R$ 18 milhões para a PM e R$ 4,5 milhões para os Bombeiros. O recurso será destinado à promoção de soldados, cabos e oficiais dessas corporações, um antigo sonho da categoria que começa a virar realidade a partir do próximo ano.

A votação foi acompanhada por centenas de trabalhadores da Segurança Pública, que lotaram as galerias da Assembleia. Estiveram na Casa representantes do Sindicato dos Escrivães e Investigadores da Polícia Civil (Sindeipol),  Associação dos Cabos e Soldados da Polícia e Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (ACS), Associação dos Sargentos, Subtenentes e Oficiais de Administração da Polícia e Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (ASSOAPBMAM) e Associação de Militares Estaduais (AME), entre outras entidades de classe.

Além das promoções, os militares lutam por outras pautas, como auxílio-fardamento, cumprimento da data-base e redução da jornada de trabalho.

 

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta