Deputada/professora diz que proposta do Governo à categoria é o limite máximo do

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Depois de acompanhar várias rodadas de negociação entre representantes sindicais da categoria dos professores, em greve há 26 dias, e o Governo do Estado, a deputada Therezinha Ruiz (PSDB), considera que a contra proposta final de 4,73% de reposição salarial não é o ideal, mas é o limite máximo que o Governo alega que pode oferecer.

A proposta foi confirmada pelo secretário estadual de Educação, Luiz Castro, durante reunião realizada na tarde desta sexta-feira, na sede do governo, diante das lideranças sindicais que manifestaram insatisfação com o reajuste de 4,73%, mas eles se comprometeram em realizar assembleias para comunicar a categoria e decidir pelo fim da greve ou não.

Na avaliação da deputada Therezinha Ruiz, o Governo do Estado precisa manter o canal de diálogo aberto ao debate com os professores, assim como a categoria precisa refletir sobre o atual momento de crise econômica, considerando também as condições financeiras do Governo em relação à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

“É importante que a discussão continue, mas é necessário que as atividades escolares, paralisadas há quase um mês, se normalizem com a retomada das aulas”. defende a deputada.

De acordo com o Governo o percentual de 4,73% é o limite máximo do que pode oferecer à categoria em 2019, sob pena de comprometer o pagamento de todos os servidores e o bom funcionamento dos serviços públicos.

Benefícios

A proposta do Governo prevê de imediato as progressões horizontais para 16 mil servidores; Progressões verticais de 12%, 50% e de 55% para 1,5 mil servidores; Reajuste do auxílio localidade com aumento de 100% para os servidores da educação das cidades do interior e de 233% para os que atuam nas comunidades rurais.

Para isso, o Estado incluirá no Projeto de Lei da adta-base que será enviada à Assembleia Legislativa, proposta para transformar o auxílio em verba indenizatória, para garantir o reajuste.

O Governo propõe também um acréscimo de R$ 30 no vale alimentação, além da extensão do vale-transporte, em Manaus para os professores de 40 e 60 horas. Os demais servidores da educação também receberão o vale-transporte.

Qual Sua Opinião? Comente:

Este post tem um comentário

  1. NEY M CARDOSO

    Deputada renuncie seu salário como parlamentar e fique recebendo somente o seu salário como professora e mostre sua satisfação. O governo do estado tem condições de dar o aumento salarial necessário, basta cortar os gastos com festas, cortar os gastos com aluguel de equipamentos, cortar gastos
    Com publicidade e propaganda, cortar os gastos com aluguel de veículos de luxo. Muitos órgãos tem a Toyota SW4 alugados, é o veículo mais caro da Toyota. Vejam que só este ano o governador irá gastar mais de 30 milhões de reais com a festas.
    Seria importante a deputada mostra-se os valores que este governo já gastou nestes 5 meses, e a previsão até o fim do ano de 2019. Mostre números, mostre valores, afinal a prioridade é a educação ou festas???

Deixe uma resposta