Vereador vai à Justiça e deputada pede a ministro que adie prova do Enem no Amazonas

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

O vereador de Manaus, Amom Mandel (PODE) anunciou uma Ação Ordinária Cautelar, com pedido de antecipação de tutela, pelo adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no Estado do Amazonas, com provas marcadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para o próximo domingo (17/01). Em oficio encaminhado ao ministro da Educação, Milton Ribeiro, a deputada professora Therezinha Ruiz (PSDB), solicita, em caráter de urgência, a suspensão da aplicação no Estado do Amazonas, diante do agravamento da segunda onda de Covid-19, com o aumento do número de casos que passou a registrar 94% de ocupação dos leitos de UTI dos hospitais públicos, e cerca de 100% de ocupação nos hospitais da rede privada de Manaus.

pedido de Amom acontece em face do aumento do número de pessoas infectadas pelo Covid-19 na capital do Amazonas e no interior, e também depois de denúncias recebidas pelo “Gabinete Online”, lançado pelo parlamentar no domingo (10/01/21). “Considerando que a possibilidade de desistência em massa, tanto de estudantes quanto de colaboradores do Enem, um risco real, decidi entrar com a ação em nível Estadual e Federal para tentar adiar o exame por alguns dias no estado do Amazonas”, anunciou Amom Mandel.

Manaus enfrenta um dos cenários mais preocupantes do Brasil com o aumento diário de internações e sepultamentos de vítimas do novo coronavírus. Segundo Amom Mandel, a realização do exame nos moldes propostos pelo Inep, de forma presencial, representa um risco real à saúde de estudantes. “Nesse momento, Manaus vive o que as autoridades em saúde classificam como fase roxa do sistema de atendimento. A aglomeração provocada pelo Enem seria um risco aos estudantes, aos familiares e poderia agravar a saturação que nossa cidade enfrenta em seu sistema de saúde. O Enem é importante e deve acontecer, mas dentro do possível”, afirmou Amom.

Covid-19 no Amazonas

No último domingo (10/01), o Boletim Epidemiológico divulgado pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) apontou que o estado registrou 965 novos casos de Covid-19, elevando para 213.961 casos da doença. 32 óbitos foram confirmados, 22 só no último sábado (09/01). Desde o início da pandemia, 5.701 pessoas foram vítimas do coronavírus em todo Amazonas.

Em Manaus, atualmente, 450 pessoas com diagnósticos confirmados para Covid-19, ocupam leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), na rede pública e privada. 973 pacientes estão em leitos clínicos de hospitais da cidade. Entre casos suspeitos e em investigação 1.867 pessoas seguem internadas, segundo o último Boletim da FVS.

Deputada envia ofício

Presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Therezinha Ruiz ressalta no documento que, frente ao cenário crítico da pandemia, a população amazonense encontra-se sob os protocolos de lockdown, com as atividades não essenciais suspensas em todo o Estado, e ainda sem um plano formalizado de perspectiva de imunização/vacinação contra a Covid-19.

A deputada aponta também como agravante, para a realização das provas, a extensão territorial do Amazonas, a maior do País, cortada por rios e florestas. “Isso gera uma grande preocupação para as autoridades de saúde, pelas condições de logística e distribuição dos insumos aos municípios do interior e regiões de difícil acesso, como as aldeias indígenas”, exemplifica.

De acordo com Therezinha, a preocupação dos pais e alunos com os riscos de contágio pelo Coronavirus, é notadamente compreensível e deve ser analisada com o respectivo parecer técnico do órgão ministerial, sobre a viabilidade ou não da aplicação das provas do Enem no Amazonas. “Sendo assim, solicitamos a suspensão do exame nos dias 17 e 24 de janeiro no Amazonas, sem data definida para nova aplicação”, reforça a deputada.

A deputada destaca ainda que uma nova variante do vírus SARS-CoV-2 denominada B.1.1.248, que possui 12 mutações, foi identificada no Japão, em quatro pessoas infectadas com a Covid-19, e segundo as autoridades japonesas, os quatro pacientes são provenientes do Brasil, precisamente do Estado do Amazonas.

O documento frisa que estudos preliminares, indicam que essa nova variante do SARS-CoV-2 já está se disseminando, com alto índice de infecção e contaminação em Manaus. Contudo, não há evidências precisas para determinar a mudança na infectividade ou patogenicidade dessa cepa variante, sendo que a única medida preventiva é o isolamento social.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta