CPI da Saúde ouve explicações do presidente da AADESAM sobre “Anjos da Saúde”

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde ouviu ontem o presidente da Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (AADESAM), Bráulio da Silva Lima, que explicou a participação da jornalista Carla Pollake na elaboração e gerenciamento do projeto Anjos da Saúde, de responsabilidade do órgão que ele dirige. Segundo o executivo, ela apresentou aos funcionários uma pesquisa que identificava o perfil dos amazonenses.

Com base em uma fotografia publicada nas redes sociais, em que Pollake aparece na reunião da AADESAM, os deputados entenderam que havia contradições no depoimento do executivo.

Ainda durante depoimento na tarde desta quarta-feira,  foram feitos ao presidente da Aadesam questionamentos sobre a real função da agência no projeto, datas de contratação, participação na elaboração e execução, além de contratação de pessoal.

“A agência é contratada para exercer funções que as próprias secretarias poderiam executar. Pode ser um cabide de empregos”, disse o presidente da CPI, deputado Delegado Péricles. O órgão não foi criado na gestão de Wilson Lima (PSC).

Após um depoimento repleto de contradições e respostas desconexas do gestor, o deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) apresentou um requerimento solicitando que o Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) faça uma inspeção, em caráter de urgência, no contrato do projeto, idealizado pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam) e executado pela Aadesam.

Dificuldade em contatar proprietários da Norte

Ao fim da reunião desta quarta-feira, os membros titulares da CPI afirmaram encontrar dificuldades para notificar a atual proprietária da Norte Serviços, Criselidea Bezerra de Moraes; e o ex-proprietário da Norte, Victor Vinicius Souto dos Santos. ”Vamos avaliar com nossa equipe jurídica forma mais efetiva de trazê-los até esta CPI. Estudaremos até uma forma coercitiva, já que se percebe clara intenção de não atender aos nossos pedidos de comparecimento”, disse o Delegado Péricles.

A empresa prestou serviços de lavanderia ao Hospital de campanha Nilton Lins.

A próxima reunião da Comissão está agendada para esta quinta-feira, às 15h.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta